Mortes por atropelamento caíram pela metade em Curitiba

Balanço do BPTran é referente ao ano de 2021. Em contrapartida, o número de casos que envolvem crianças triplicou em relação ao ano anterior.

Redação - 01 de abril de 2022, 15:53

(Foto: BPTran)
(Foto: BPTran)

O número de mortes por atropelamento caíram pela metade em Curitiba. O balanço divulgado pelo BPTran (Batalhão de Polícia de Trânsito) nesta sexta-feira (1) é referente a 2021, quando houve quatro óbitos, cinco a menos que no ano anterior.

Em contrapartida, os acidentes deste tipo que envolvem crianças de até 11 anos triplicaram no período, de 10 para 30.

O maior número de casos aconteceu na avenida Marechal Floriano Peixoto, 11 vezes. Na sequência, vem a avenida Comendador Franco, com sete atropelamentos.

Outras quatro vias de Curitiba registraram seis registros: Izaac Ferreira da Cruz, Silva Jardim, Visconde de Guarapuava e Sete de Setembro.

Segundo o tenente-coronel Klemps, comandante do BPTran, a falta de atenção ao trânsito é a principal causa deste tipo de acidente. “Hoje, o jovem, principalmente, acaba se distraindo pelo uso de fone de ouvido e de celular. Esses dispositivos tiram a atenção dos pedestres, levando-os a serem as principais vítimas”, explicou.

O Batalhão de Trânsito orienta que os pedestres devem obedecer às leis de trânsito, prestar atenção às sinalizações, atravessar as vias sempre na faixa de pedestres, olhar para os dois lados antes da travessia e evitar o uso de fones de ouvidos e outros dispositivos que possam causar distração.