Mortes em confrontos policiais aumentam no Paraná, diz MP

Jovens são as principais vítimas das mortes em confrontos com policiais militares. Seis em cada 10 óbitos vitimaram pessoas de até 29 anos.

Redação - 27 de abril de 2022, 17:54

Ilustração/Pixabay
Ilustração/Pixabay

Levantamento realizado pelo Gaeco (do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público, aponta que o número de mortes em confrontos com policiais aumentou 9,74% no Paraná no ano passado.

Foram 417 óbitos durante 2021, sendo 211 no primeiro semestre e 206 no segundo. No ano anterior, foram 380 mortes. Entra na conta confrontos envolvendo policiais militares e civis, além de agentes das guardas municipais.

Os policiais militares estão envolvidos na maior parte das mortes registradas no ano passado, no Paraná. Dos 417 casos apurados, 408 tinha PMs envolvidos. Duas mortes foram em confrontos com policiais civis, e 7 envolviam guardas municipais.

Jovens são as principais vítimas das mortes em confrontos com policiais militares. De acordo com os dados apurados pelo Gaeco, seis em cada 10 óbitos vitimaram pessoas de até 29 anos. Pouco mais da metade era negros (47,7% pardos, 46,7% brancos, 5,6% pretos).

Nesta quarta-feira (27), data em que o levantamento sobre mortes em confrontos foi divulgado pelo Gaeco, o Ministério Público do Paraná entregou ao govenador Ratinho Junior (PSD) uma carta assinada por diversas instituições com sugestões para combater a violência policial.