Motorista avança em manifestação e carrega estudante em capô

Andreza Rossini


Um ex-aluno da rede estadual de ensino que apoiou a manifestação dos estudantes foi agredido em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na manhã deste sábado (29). Ele participava de uma manifestação na Praça do Mitre quado foi carregado no capô de um veículo.

De acordo com a advogada que presenciou a cena e acompanhou o rapaz, Beatriz Alves dos Santos Silva, os alunos paravam o trânsito durante um período e, em seguida, liberavam. “Quando eles estavam na rua, um dos carros que estava parado arrancou e o menino não conseguiu sair da frente. Então ele pulou no capô do carro e foi carregado por umas duas quadras. O  estudante contou que o motorista furou alguns sinais e, quando freou e o estudante caiu e o foi agredido”, disse.

O rapaz, que preferiu não se identificar, conta que realmente segurou no capô do veículo. “O carro começou a forçar os manifestantes e eu estava bem na reta do carro. Ao invés de cair para traz eu cai para frente e fiquei no capô, foi quando me segurei para não cair. Ele só parou para me bater. Se eu não tivesse noções de defesa pessoal teria parado na Unidade de Terapia Intensiva”, afirmou.

O Boletim de Ocorrência foi registrado junto à Polícia Militar. O estudante deve passar por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal, na próxima segunda-feira (31), segundo Beatriz.

A professora Cartia Ronsani que participava de uma manifestação dos professores, próximo ao local, afirmou que tentou socorrer o aluno. “Nós gritamos atrás do carro, mas o motorista estava correndo muito”, afirmou.

O Paraná Portal não conseguiu entrar em contato com a Polícia Militar. Até o momento o motorista não foi identificado.

Veja o vídeo: 

Ocupações nas escolas

As ocupações começaram no início de outubro, em protesto contra a reforma do ensino médio, prevista pela Medida Provisória (MP) 746, e o estabelecimento de um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos, previsto pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241.

Na noite de quinta-feira (27) a Justiça expediu um mandado de reintegração de posse para 25 escolas de Curitiba. Oficiais de justiça cumpriram os mandados e os estudantes conseguiram um acordo junto ao Ministério Público para manter a ocupação no Colégio Estadual do Paraná, que é o maior do estado.

O movimento resolveu desocupar a escola para “manter a igualdade” com os outros estudantes. 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="394229" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]