Motorista de aplicativo é salvo de sequestro após aparelho transmitir abordagem

Um motorista de aplicativo foi sequestrado durante um assalto em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curiti..

Redação - 07 de março de 2020, 16:55

Ilustrativa/Pixabay
Ilustrativa/Pixabay

Um motorista de aplicativo foi sequestrado durante um assalto em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, na noite desta sexta-feira (6). Ele foi salvo depois que um parelho -muito utilizado pela categoria- transmitiu o início do roubo para seus colegas.

De acordo com a GM (Guarda Municipal), a voz de assalto aconteceu durante uma viagem para um aplicativo de transporte. Na ação, o homem foi agredido, amarrado e, em seguida, colocado no porta-malas do automóvel.

CRIANÇA DE UM ANO FOI APREENDIDA COM SUSPEITOS DE ASSALTO

Então, um dos assaltantes assumiu o volante do Hyundai e seguiu para a casa de sua namorada, que era uma adolescente, de 17 anos, e uma criança, de um ano, com o motorista de aplicativo no porta-malas. Depois, o grupo circulou com o carro pela cidade até a abordagem.

Um dos assaltantes foi preso em flagrante e deve responder pelo crime de roubo agravado. O outro conseguiu fugir. Já a menina, foi apreendida e encaminhada para a Delegacia do Adolescente. A criança foi levada por agentes do Conselho Tutelar.

O motorista foi encaminhado para um hospital da região, com ferimentos moderados. A Polícia Civil de São José dos Pinhais irá investigar o caso.

APARELHO QUE CAPTA ÁUDIO SALVOU MOTORISTA DE APLICATIVO DE ASSALTO

A ação dos agentes de segurança foi rápida já que o roubo foi escutado pelos colegas de profissão. O aparelho, que captou o áudio, é usado como uma 'rede de segurança'. Já que, os motoristas que possuem esse objetivo conseguem escutar o que está acontecendo com os outros trabalhadores.

Depois de escutar a ação dos bandidos, que utilizaram muita violência, os colegas avisaram à polícia sobre o crime. No áudio, a dupla dizia para o motorista não reagir ao assalto se não ele iria morrer. "Reage não, mano. Se não, nós vamos te matar."