Motorista do ônibus alega que falha nos freios causou acidente na BR-376, diz delegado

Vinicius Cordeiro

ônibus motorista acidente br-376 paraná guaratuba

Em depoimento à polícia, o motorista do ônibus que sobreviveu ao acidente na BR-376 em Guaratuba, no litoral do Paraná, nesta segunda-feira (25) afirmou que o veículo teve problemas no sistema de frenagem. O homem de 67 anos foi ouvido na delegacia da Polícia Civil durante à tarde, após o Corpo de Bombeiros contabilizar 19 mortes e 33 feridos no tombamento.

“Ele se apresentou muito emocionado e me relatou que notou que estava com problema nos freios após o início das curvas da Serra [do Mar]. Ele disse que não conseguiu entrar na área de escape na rodovia e que quando notou, já era muito tarde”, conta o delegado plantonista de Guaratuba, Cristiano Quintas.

Conforme Quintas, o homem tem vasta experiência na condução de ônibus e caminhões. O sobrevivente ao acidente na BR-376 relatou que é terceirizado na empresa de turismo TC Pires da Cruz, do Pará, e era um dos responsáveis por transportar 50 pessoas do Norte ao Sul do País.

O ônibus saiu de Belém e iria para Balneário Camboriú, em Santa Catarina, percorrendo 3.474 quilômetros. Faltaram cerca de 92 km para concluir a viagem, que já durava há mais de três dias. Segundo a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), o veículo tinha registo e operava regularmente. Além disso viagem foi autorizada e ocorria dentro das normas legais.

“Havia dois motoristas que se revezavam na viagem. Ele disse havia assumido a direção há pouco tempo e estaria descansado”, relata o delegado.

Além do depoimento, o homem também foi submetido ao teste do bafômetro em Guaratuba para descartar a possibilidade de embriaguez ao volante. “Ele não apresentava sinais e o exame não constatou qualquer indício de álcool no sangue do motorista. O índice foi zero”, completa Quintas.

DELEGACIA DE CURITIBA SEGUIRÁ INVESTIGANDO O ACIDENTE NA BR-376, EM GUARATUBA

Após o depoimento do motorista em Guaratuba, a Polícia Civil do Paraná determinou que a Dedetran (Delegacia de Delitos de Trânsito) de Curitiba será a responsável pela instauração do inquérito policial. A justificativa é que os corpos das 19 vítimas foram encaminhadas ao IML (Instituto Médico Legal) da capital paranaense, o que facilitará o depoimento dos familiares.

O motorista deverá ser ouvido novamente, assim como testemunhas e outros sobreviventes ao acidente na BR-376. Conforme o último balanço do Corpo de Bombeiros:

  • 19 pessoas morreram;
  • sete ficaram gravemente feridas;
  • 25 tiveram lesões leves ou moderadas;

As vítimas mais graves foram socorridas de helicóptero para o Hospital Cajuru, em Curitiba, e Hospital São José, em Joinville (SC). Já os demais envolvidos foram atendidos por ambulância e levados a Guaratuba, Paranaguá e Campo Largo (PR), além de Garuva e Joinville (SC).

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) informou que a pista da BR-376 foi liberada por volta das 15h15. De acordo com a concessionária Arteris Litoral Sul, o fluxo normalizou às 17h30.

VEJA TAMBÉM: “Trecho perigoso”, diz prefeito de Guaratuba após tombamento de ônibus na BR-376

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="741303" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]