Motorista que atropelou secretário de esportes é indiciado por homicídio qualificado

Francielly Azevedo e Fernando Garcel

O motorista da caminhonete que invadiu uma quadra esportiva e matou Elder Coutinho, de 29 anos, ex-jogador de vôlei e secretário municipal de Esportes de Assis Chateaubriand, no oeste do Paraná, foi indiciado nesta quarta-feira (11) por homicídio qualificado e tentativa de homicídio.

Conforme as investigações da Polícia Civil, Gilvane Bazanella Lulu atropelou o ex-atleta por ciúmes, na último dia 5 de julho, no ginásio de esportes da cidade. Coutinho teria tido um envolvimento extraconjugal com a esposa do suspeito.

A mulher é professora do núcleo regional de educação de Assis Chateaubriand e declarou que conheceu Elder Coutinho em razão dos trabalhos que realizavam juntos na época de jogos escolares do município. Em maio, eles teriam tido um relacionamento breve.

A investigação também coletou imagens de câmeras de monitoramento que flagraram a caminhonete circulando próxima do ginásio de esportes. Em um dos vídeos, o motorista fica observando o local por mais de 20 minutos. Depois, ele vai para outro ponto em que fica parada na rotatória de uma avenida, ao lado de um posto de combustíveis, e arranca em direção ao local em que houve o atropelamento.


Além de causar a morte de Coutinho, o motorista atingiu dois meninos, de oito e 13 anos, que esperavam para começar um treino de futsal e ficaram feridos. Por isso, Lulu também responderá por tentativa de homicídio.

Investigação

Inicialmente, o caso era investigado como acidente. Coutinho foi atropelado no momento em que entrava no ginásio em que teria uma reunião com um professor de basquete. A caminhonete ficou a poucos metros da quadra esportiva. No local, crianças e adolescentes aguardavam o início de um treino de futsal e duas ficaram levemente feridas.

No primeiro depoimento, o motorista disse que teria perdido o controle da direção em uma rotatória e acabou acelerando o veículo ao invés de frear. No segundo interrogatório, o motorista permaneceu em silêncio.

A polícia colheu depoimento de testemunhas e trata o caso como assassinato. Segundo o delegado responsável pelo caso, Thiago da Silva Teixeira, as testemunhas foram ouvidas não sobre o fato, mas sim sobre o histórico e relação entre a vítima e o motorista.

Carreira

Elder Coutinho foi levantador do Maringá Vôlei de 2015 a 2017 e passou por diversas equipes profissionais no país. Ele se desligou da equipe para assumir o cargo de secretário de Esportes em Assis Chateaubriand no ano passado. Em nota, o Maringá Vôlei lamentou a morte do atleta.

“Hoje o mundo do vôlei ficou mais triste. Perdemos o jogador Elder Coutinho, que jogou por duas temporadas no Copel Telecom Maringá Vôlei. […] Fica nossa homenagem ao grande atleta e amigo. Brilhe no céu!”, disse.

Post anteriorPróximo post
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Repórter do Paraná Portal e Rádio CBN. Tem passagens pela TV éParaná, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina.
Comentários de Facebook