Motoristas levaram mais de 106 mil multas por excesso de velocidade na Área Calma

Em todo o perímetro de Área Calma em Curitiba, que abrange 140 quadras, foram emitidas mais de 106 mil multas por..

Francielly Azevedo - CBN Curitiba - 15 de fevereiro de 2019, 09:10

Foto: Francielly Azevedo
Foto: Francielly Azevedo

Em todo o perímetro de Área Calma em Curitiba, que abrange 140 quadras, foram emitidas mais de 106 mil multas por excesso de velocidade em 2018. De acordo com a Prefeitura de Curitiba, do total de notificações, a maioria é por infração de natureza média, em que o excesso de velocidade chega a até 20% a mais do que o permitido – foram 91.462.

As outras são infrações de natureza grave, que é de 20% a 50% a mais que o limite máximo de velocidade (9.747), e gravíssimas, mais de 50% do limite de velocidade da via (5.522).

O especialista em trânsito, Celso Mariano, explica que as autuações acontecem porque geralmente o condutor está desatento, mas que isso não é desculpa. "Nós temos um número muito grande autuações aplicadas nesta área porque os condutores ou não estão sabendo, ou estão passando ali pela primeira vez, e não estão observando a sinalização. Mas os condutores não podem utilizar como desculpa o não vi a placa, porque quem conduz veículo de maneira distraída não devia estar dirigindo", afirmou.

O perímetro limita em 40km/h a velocidade máxima na região central de Curitiba. O projeto foi desenvolvido para garantir mais segurança a pedestres e ciclistas.

Acontece que, mesmo assim, muitos pedestres não se sentem seguros. O seu Francisco Cardozo é aposentado e frequenta bastante a região central da cidade. Ele tem medo dos veículos. Enquanto conversava com a reportagem da Rádio CBN Curitiba estava de costas pro fluxo de carros na Rua André de Barros e se disse apreensivo. "Eu chego a pensar de costas aqui se será que vai vir um carro e me levar com tudo? Chego a pensar nisso", contou.

Josinaldo da Silva é vendedor ambulante. Ele trabalha há 14 anos na Rua André de Barros, entre a Travessa da Lapa e a Barão do Rio Branco em uma barraquinha de frutas. O comerciante avalia como positiva a área calma, principalmente por causa dos idosos. "Uma vez saiu um idoso aqui e o carro pegou ele bem ali", lembrou.

O especialista em trânsito destaca que é importante ter a redução de velocidade nessas regiões de grande fluxo de pessoas. "Em centros urbanos, locais onde veículos estão muito próximos dos pedestres, é fundamental que a velocidade seja baixa, para que haja tempo hábil para o condutor reagir e o pedestre perceber e reagir", destacou.

A Área Calma funciona desde 16 de novembro de 2015 em Curitiba.