MP denuncia fazendeiros que mantiveram pessoas em condições análogas a escravos no Paraná

Andreza Rossini


A 2º Promotoria de Justiça de Palmas, no Centro-Sul do Paraná, denunciou dois proprietários ruais por falsificação de documento público, nesta terça-feira (9). De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, eles mantiveram 19 pessoas em condições análogas à escravidão. A denúncia do Ministério Público leva em consideração que eles deixaram de fazer qualquer tipo de anotação na carteira de trabalho de 16 desses 19 empregados.

Os casos aconteceram em uma fazenda de Coronel Domingos Sores, entre dezembro de 2009 e agosto de 2010.

De acordo com o Grupo de Fiscalização Móvel da Divisão para Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério do Trabalho e Emprego, os denunciados submeteram diversos empregados, inclusive adolescentes, a condições análogas à de escravos, privando-os de condições adequadas de existência e sonegando-lhes todos os direitos previdenciários e trabalhistas, situação que perdurou até que as fiscalizações fossem deflagradas.

Previous ArticleNext Article