MP denuncia homem pela morte da adolescente em Maringá

Francielly Azevedo


O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou, nesta terça-feira (18), os dois suspeitos de participação na morte da adolescente Jeniffer Tavares, em Maringá, no norte do Paraná. Carlos Alberto Dias da Silva e o irmão dele, Roberto Dias da Silva, respondem pelo crime que aconteceu em maio deste ano.

Carlos foi denunciado por homicídio qualificado, fraude processual, ocultação de cadáver e estupro de vulnerável. Enquanto Roberto foi acusado por ocultação de cadáver e fraude processual.

De acordo com o Ministério Público do Paraná, Roberto ajudou o irmão a se desfazer do corpo da adolescente. Além disso, ele teria escondido roupas e objetos da garota e de Carlos, para atrapalhar as investigações.

O CASO

A adolescente, de 16 anos, desapareceu no dia 4 de maio, após sair para uma festa. O corpo de Jeniffer foi encontrado três dias depois, em um terreno baldio no Jardim Rebouças, em Maringá, por catadores de materiais recicláveis. Ela estava seminu, com sinais de esganadura e abuso sexual.

Carlos Alberto foi preso no dia 10 de maio, em uma praça de pedágio em Mandaguari, também no norte do Paraná, após a polícia verificar imagens de câmeras de segurança da cidade.

Na delegacia, o homem disse que não matou a adolescente. Ela teria morrido por overdose e ele jogou o corpo dela no matagal.

No entanto, um laudo do Instituto Médico-Legal (IML) apontou que a adolescente foi estuprada. O exame constatou que a jovem sofreu traumatismo craniano e asfixia por esganadura.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.