MP denuncia quatro pessoas por lavagem de dinheiro na Operação Publicano

Francielly Azevedo


O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou, nesta terça-feira (20), quatro pessoas pelo crime de lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Publicano, que investiga um esquema de corrupção na Receita Estadual. Entre os denunciados estão: o ex-inspetor-geral de fiscalização da receita, Márcio de Albuquerque Lima; a esposa dele e auditora, Ana Paula Pelizari Marques Lima; o delator e ex-auditor fiscal Luiz Antônio de Souza; e o auditor Milton Antônio Oliveira Digiácomo. Os quatro estão entre os 42 condenados na primeira sentença da Publicano.

Na denúncia, o MP-PR aponta cinco fatos de lavagem de dinheiro para aquisição de bens por Márcio Lima e Ana Paula. Lima é apontado como o chefe da organização criminosa.

Conforme o documento, Souza e Digiácomo participaram do pagamento de algumas peças adquiridas pelo casal para a montagem de um veículo de competição.

Segundo os promotores, além do carro, o casal teria comprado uma lancha de mais de R$ 850 mil. O dinheiro usado na compra teria sido obtido no esquema de corrupção da Receita.

De acordo com o MP, além do veículo, o casal teria adquirido uma lancha de mais de R$ 850 mil com dinheiro obtido no esquema de corrupção da Receita. Foram pagos R$ 210 mil em transações bancárias e o restante por meio de pagamentos em dinheiro para ocultar o desvio. “O valor restante, R$ 645.272,73 (seiscentos e quarenta e cinco mil duzentos e setenta e dois reais e setenta e três centavos), foi pago por meio de sucessivos pagamentos, em dinheiro, para a alienante da embarcação”, diz a denúncia.

Para o MP-PR os recursos utilizados pelo casal são provenientes de desvios da Receita. “Cconstatou-se que a partir do ano de 2000, os auditores fiscais MÁRCIO DE ALBUQUERQUE LIMA e ANA PAULA PELIZARI MARQUES LIMA valeram-se de inúmeros estratagemas para realizar a lavagem de ativos percebidos indevidamente a título de propina”, aponta o documento.

Além de denunciar, os promotores pedem o bloqueio de bens do casal no valor de R$ R$1.184.154,59 cada. Para Souza e Giácomo, o MP pede o ressarcimento solidário de R$ 88,5 mil. Além da perda dos cargos, funções ou mandato eletivos eventualmente ocupados pelos quatro acusados.

DEFESA

Douglas Maranhão, advogado de defesa de Márcio de Albuquerque Lima e Ana Paula Pelizari Marques Lima, disse que só vai se manifestar após ter acesso a denúncia.

O advogado Walter Bittar, que representa Milton Antônio Oliveira Digiácomo, afirmou que a denúncia trata-se de uma “estratégia cada vez mais comum de impetrar vários processos na tentativa de forçar a realização de acordos de delação”. A defesa ainda informou que não existe lavagem de dinheiro, mas sim a necessidade de manter a versão do delator.

A reportagem tentou contato com o advogado de Luiz Antônio de Souza, mas não obteve retorno.

 

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.