MP denuncia três professoras por tortura contra crianças em creche no Paraná

Andreza Rossini

Três professoras da rede municipal de ensino de Astorga, no norte do Paraná, foram denunciadas pelo Ministério Público pelo crime de tortura contra pelo menos oito crianças de até dois anos cinco meses, que frequentavam um Centro de Educação Infantil (CMEI).

De acordo com o procurador responsável pelo caso, Lucílio de Held Jr, a denúncia foi feita por uma estagiária e os crimes foram evidenciados por imagens de câmeras de segurança. Os casos ocorreram na turma I D, da creche.
A denúncia aponta que as professoras davam tapas e gritavam com as crianças. ” Elas usavam o tom de voz de forma desmedida e agressiva, arremessavam as crianças nos colchões de qualquer jeito, carregavam as crianças penduradas pelo braço. Elas chutavam o colchão com as crianças deitadas, empurravam o colchão com os pés de qualquer forma”, afirmou o procurador.

Held afirmou que as denúncias feitas pela testemunha presencial bateram com informações relatadas pelos pais. “A testemunha afirmou que algumas crianças eram tratadas com crueldade na hora do banho – como agressão com celulares – e os pais relatavam que essas mesmas crianças desenvolveram alteração comportamental na hora do banho em casa. Elas demonstravam fobia”, explicou.

Segundo o procurador, a denunciante e os pais não tiveram contato. O caso foi investigado pela própria procuradoria com o objetivo de dar agilidade ao processo.


As professoras foram afastadas do cargo e não receberam os vencimentos pendentes. Elas também respondem a um processo administrativo disciplinar. Vídeos das agressões foram encaminhados pela prefeitura do município para o Ministério Público.

A expectativa é que a denúncia do MP seja aceita pela Justiça até amanhã.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook