MP instaura inquérito para investigar obras no Colégio Estadual do Paraná

Andreza Rossini


O Ministério Público do Paraná (MP-PR) instaurou um inquérito para investigar as obras realizadas no Colégio Estadual do Paraná (CEP), a maior instituição escolar do estado. A ação é um desdobramento da Operação Quadro Negro, que investiga o desvio de dinheiro destinado a construção de escolas.

A investigação diz respeito ao processo licitatório 25/2013, vencido pela Construtora Aghora. O contrato tem o valor total de R$ 244 mil para reformas no colégio. Um aditivo no valor de R$ 168 mil foi firmado entre a Secretaria da Educação e a empresa, no ano seguinte.

Os promotores do Grupo Especializado ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria), responsáveis pelo caso, argumentam que o relatório da vistoria realizada na instituição de ensino apresenta irregularidades no aditivo realizado.

Por meio de nota a Secretaria da Educação (Seed) afirmou que foi a primeira a pedir investigações sobre o aditivo do contrato e que encaminhou documentos para análises de outros órgãos. Veja na íntegra:

A Secretaria da Educação informa que foi a primeira a investigar os indícios de disparidades em medições de obras de escolas. Foi aberta auditoria interna para apuração da situação e os dados foram então encaminhados à Polícia Civil, Ministério Público e Tribunal de Contas, para que cada órgão tomasse as providências cabíveis. A Secretaria também reforçou seus departamentos de controle interno e de auditoria após o episódio.

O inquérito civil foi aberto no dia 9 de julho. O Paraná Portal aguarda um posicionamento da construtora.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="539544" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]