MP denuncia médico que discriminou enfermeira por orientação sexual

Jorge de Sousa

MP denuncia médico que discriminou enfermeira por orientação sexual

O Ministério Público do Paraná denunciou um médico e diretor clínico de um hospital em Paraíso do Norte, região noroeste do Paraná, que ofendeu e impediu uma enfermeira de trabalhar no local pela orientação sexual da vítima.

A Promotoria de Justiça de Paraíso do Norte ofereceu denúncia criminal por lesbofobia e falsidade ideológica contra o médico, que teria impedido a enfermeira de cuidar de um idoso internado no hospital.

Além de impedir a enfermeira de exercer a profissão, o médico ainda teria dito diversas ofensas sobre a orientação sexual da profissional.

Para tentar esconder o ocorrido, o médico e outra enfermeira do hospital fraudaram um documento em que alegaram a reclamação de um paciente da mesma enfermaria em que trabalhava a profissional.

No documento fraudado, o médico e a enfermeira apontaram que o paciente teria solicitado a exclusão da profissional por ela ser do sexo feminino.

Mas a Promotoria verificou o crime de falsidade ideológica do médico e da enfermeira, após a investigação demonstrar que não houve nenhuma reclamação contra a profissional e que a ação foi motivada como forma de esconder a discriminação no hospital.

O crime de lesbofobia tem pena prevista de um a três anos, enquanto a falsidade ideológica pode render detenção de um a três anos. Ambos os delitos também podem resultar no pagamento de multa.

LEIA MAIS: Academia da Polícia Militar esconde surto de covid-19 e tenta silenciar alunos sobre doença

Previous ArticleNext Article