MP vai investigar como criança burlou segurança de aeroporto e voou até Congonhas

Fernando Garcel


O Ministério Público do Paraná (MPPR) deve instaurar nesta semana um procedimento para apurar o caso do menino, de 12 anos, que embarcou clandestinamente em um voo para Congonhas (SP) partindo do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, na última segunda-feira (15).

Menino foge de casa, burla segurança de aeroporto e voa até Congonhas

A Promotoria de Justiça de Infrações Penais contra Crianças, Adolescentes e Idosos pretende instaurar uma apuração de infração administrativa para saber como a criança passou por pelo menos duas fiscalizações sem ser barrada.

Ele teria fugido de casa depois ter tirado notas baixas na escola. Para evitar mais advertências em casa, o garoto falsificou a assinatura dos pais no boletim. A professora descobriu e ele foi suspenso. Ele então foi até o aeroporto, se infiltrou em uma família sem que ninguém percebesse e viajou tranquilamente na aeronave que tinha assentos disponíveis. Quando desembarcou, ele não sabia para onde iria e foi abordado. Em nota, a companhia aérea disse que quando se deu conta do fato, já no aeroporto paulista, entrou em contato com os familiares do garoto e com as autoridades, providenciando o seu retorno imediato.

A LATAM Airlines Brasil e a Infraero afirmam que estão colaborando com as investigações. Já a Polícia Federal (PF) garante que não teve culpa. Em nota a instituição esclarece que “é responsável pela área de imigração, embarque e desembarque internacional e ameaça à segurança das aeronaves” e que “negligência funcional em embarque doméstico” não cabe a PF apurar.

Previous ArticleNext Article