MP-PR deflagra operação contra desvio de dinheiro da merenda escolar

Simone Giacometti


Seis pessoas foram presas temporariamente e 28 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nesta terça-feira (9) pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) em uma operação que investiga o desvio de dinheiro que seria destinado à merenda escolar no município de Cerro Azul, na Região Metropolitana de Curitiba.

As investigações começaram a quatro meses e dez pessoas são investigadas. Elas são suspeitas de realizar compras de alimentos que eram pagos, mas não eram entregues às escolas. Segundo a promotora Simone Berci Framçolin, de Cerro Azul, só em 2018, estima-se que os desvios de recursos somem R$ 76 mil. A maior parte do dinheiro era proveniente da Secretaria de Assistência Social.

Ainda segundo a promotora, as áreas mais afetadas foram os projetos Piá e Beija-Flor, ambos de contra turno, que atendem crianças em situação de vulnerabilidade social. “Essas crianças ficaram sem carne por causa de uma má prestação de serviço”, conta Simone.

Entre os investigados está o secretário Valério Leandro Stival, da Secretaria de Obras e Viação. Ele teria sido flagrado recebendo dinheiro de um fornecedor em uma agência bancária.

O esquema

Investigações da Promotoria de Justiça de Cerro Azul apontaram que servidores públicos do alto escalão do Município deflagravam procedimentos de compra de alimentos que supostamente seriam destinados à merenda de crianças atendidas pelos projetos sociais. Os itens, no entanto, não chegavam a ser entregues, embora os valores fossem pagos – e posteriormente repartidos entre os envolvidos – mediante a liquidação das notas fiscais que em seguida eram canceladas.

De acordo com as informações obtidas, a prática vinha ocorrendo desde o ano passado, pelo menos, e encontrava-se em pleno funcionamento.

A operação, denominada “Pratos Limpos”, contou com o apoio da Polícia Militar do Estado do Paraná. Os mandados foram cumpridos em residências e estabelecimentos comerciais em Cerro Azul, Pitanga e Curitiba, tendo sido apreendidos documentos, aparelhos de telefone celular, computadores, dinheiro, armas, munições e espécimes da fauna silvestre sem a devida autorização.

Previous ArticleNext Article