Para não ser atropelada por trem, mulher se joga de viaduto durante trilha no PR

Redação e CBN Curitiba

Mulher se joga de altura de 30 metros para não ser atropelada por trem

Uma mulher ficou ferida após se jogar de uma altura de 30 metros para não ser atropelada por um trem, na Serra do Mar do Paraná, no último sábado (8). A vítima, de 24 anos, estava com outras 15 pessoas fazendo uma trilha quando o acidente aconteceu.

De acordo com o COSMO (Corpo de Socorro em Montanha), o grupo caminhava sobre os trilhos do trem quando avistou uma locomotiva. Em seguida, as pessoas se deslocaram para a lateral do trilho, porém, a mulher não encontrou lugar e, para não ser atropelada pelo trem, se atirou do trilho sobre o Viaduto do Carvalho.

Mulher se jogou de altura de 30 metros para não ser atropelada por trem

“Quando eles estavam no viaduto, que é o ponto mais turístico da estrada de ferro, eles encontraram com o trem e estavam no meio da ponte, não deu tempo de saírem da ponte. Ela pulou e caiu em uma encosta. Desceu nessa encosta se machucando…alguns amigos desceram até ela e outros foram até o parque, onde tem dois plantonistas, que acabaram ajudaram”, detalhou Ronaldo Franzen, montanhista que participou do resgate.

O acidente aconteceu por volta das 18h, quando parte do grupo pediu socorro na base do COSMO, no Parque Marumbi. Em seguida, dois montanhistas voluntários desceram até o local indicado e encontraram a vítima caída sobre os escombros de algumas dormentes e às fundações do viaduto.

“O que mais demorou foi estabilizar ela, fazer curativos…ela estava com o punho quebrado e cortes na face. Depois, conseguimos puxar ela para a linha do trem e o Corpo de Bombeiros (CB) levou ela para o hospital”, finalizou Franzen. A mulher foi encaminhada para o Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá, e não corre risco de morte.

mulher-se-joga-trilho-trem-parana-
A mulher caiu de uma altura de 30 metros (Foto: Divulgação/COSMO)

Ainda segundo o COSMO, em 2019 foram atendidas 33 ocorrências, sendo oito de alta gravidade e quatro de visitantes que faziam o Caminho do Itupava pelo trilho. “A recomendação é que o pessoal faça o caminho integral e não ande pelo trilho. O trilho não é o caminho, é proibido inclusive”, alertou o montanhista voluntário.

Previous ArticleNext Article