Mulheres são presas suspeitas de aplicar golpes com imobiliária no PR

Três mulheres foram presas suspeitas de participarem de um esquema que aplicou diversos golpes por meio de uma imobiliár..

Fernando Garcel - 19 de setembro de 2018, 11:16

Três mulheres foram presas suspeitas de participarem de um esquema que aplicou diversos golpes por meio de uma imobiliária, no bairro Capela Velha, em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. As prisões aconteceram na última segunda e terça-feira e elas devem responder por pelo crime de estelionato, por terem praticado golpes contra mais de 15 vítimas, causando um prejuízo de mais de R$ 200 mil.

Segundo a investigação, elas apresentavam imóveis, que supostamente estariam à venda, e pediam um sinal de R$ 10 a 15 mil aos compradores. Após o pagamento consumado, as mulheres “enrolavam”as vítimas e não entregavam os imóveis. As vítimas denunciaram a ação e as investigações foram iniciadas a fim de cumprir os mandados de prisão.

"Provavelmente esse golpe não foi aplicado somente em Araucária e sim em todos os municípios da região metropolitana. Nós estimamos, inicialmente, prejuízo de R$ 200 mil a R$ 300 mil, mas hoje mesmo fomos procurados por mais uma que relatou prejuízo de R$ 30 mil, então certamente vai superar R$ 400 mil", explica o delegado.

Uma das vítimas relata que conheceu a imobiliária pelo Facebook, encontrou com uma das supostas corretoras que a levou para um condomínio mas não mostrou a casa por estar sem a chave. A vítima teria feito vários depósitos em nome de um terceiro e acreditava que estava dando início ao processo de compra do imóvel.

"Eu fiz quatro depósitos. Dois ela me buscou no horário do almoço porque estava no trabalho. Ela sempre dizia que faltava documentação para entregar a minha casa. Só que ela ia enrolando até que eu fui até a imobiliária e me disseram que tinha dado um problema com a construtora e não teria casa. Eu procurei um advogado, vendi até os meus móveis, fiquei sem nada e arrasada", comenta a vítima que não quer ser identificada.

O delegado que investiga o caso, João Marcelo Renk Chagas, ressalta a importância das denúncias para auxiliar no processo de investigação. “Orientamos para que as vítimas de golpes liguem no telefone 3641-6000. A denúncia pode ser realizada de forma anônima e nos ajudará a concluir casos com mais agilidade” finaliza.