Mutirão carcerário concede 593 benefícios a presos do Complexo Penitenciário de Piraquara

Dois mutirões carcerários foram realizados pelo Poder Judiciário durante o mês de janeiro no Complexo Penitenciário de P..

Mariana Ohde - 01 de fevereiro de 2017, 09:41

Dois mutirões carcerários foram realizados pelo Poder Judiciário durante o mês de janeiro no Complexo Penitenciário de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Os processos analisados contemplam presos que estão atualmente custodiados nas unidades penais da capital e região. A ação faz parte do Projeto Cidadania nos presídios, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

No primeiro mutirão do ano, 370 benefícios foram concedidos. Destes, 276 referem-se ao uso de tornozeleiras eletrônicas, 52 presos progrediram para o regime semiaberto e 42 internos ganharam alvará de soltura. Além disso, foram ouvidos 122 presos para justificativa de falta grave.

Participaram da ação servidores do Tribunal de Justiça, Ministério Público, Defensoria Pública e Departamento Penitenciário do Paraná (Depen).

O segundo mutirão foi realizado na maior unidade penal do Paraná, a Penitenciária Central do Estado (PCE), que também está localizada no Complexo Penitenciário de Piraquara e conta com cerca de 1,6 mil custodiados. “O mutirão é uma ação extremamente significativa e necessária, traz tranquilidade para a unidade penal, inclusive sob o aspecto da segurança”, explica o diretor da PCE, Elídio Peçanha.

Na ocasião, 223 benefícios foram concedidos, sendo 150 progressões ao regime semiaberto, 26 presos tiveram direito a monitoração por tornozeleira eletrônica e 47 obtiveram alvará de soltura (livramento condicional, regime aberto ou indulto).

Três novos mutirões carcerários já estão agendados para os meses de fevereiro e março.

Fuga em Piraquara

22 dos 28 presos que fugiram da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP 1), na rebelião do dia 15 deste mês, continuam foragidos. Entre os outros seis, cinco morreram em confronto com a polícia e apenas um foi recapturado.

Dois dos detentos foram mortos na saída do presídio. A Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp) também confirmou a morte de outro detento no mesmo dia da fuga, por volta das 22h, em confronto. Outros dois homens foram mortos no dia seguinte, em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba.

O único detento recapturado foi identificado e levado para o presídio pela Guarda Municipal, também em Quatro Barras, dois dias depois da fuga.

A polícia afirma que a busca pelos foragidos é uma prioridade. O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) comunicou que as buscas continuam sendo realizadas pelas forças policiais e que as investigações são conduzidas pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), batalhão de elite da Polícia Civil.