Na reta final, apenas duas cidades atingiram a meta de vacinação contra a dengue

Mariana Ohde


A campanha de vacinação contra a dengue, que contempla 30 municípios paranaenses onde o risco é maior, termina neste sábado (24). Até agora, cerca de 159 mil pessoas já foram imunizadas – apenas 31,8% do público-alvo.

Segundo secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, o momento é de mobilizar as equipes de saúde e intensificar o trabalho de conscientização das pessoas que ainda não foram vacinadas. “Somente dois municípios já bateram a meta de imunizar pelo menos 80% de seu público-alvo. Temos que melhorar esta cobertura para evitar que esses municípios enfrentem novas epidemias no futuro”, declarou.

As doses estão disponíveis em mais de 160 unidades de saúde, de acordo com a organização de cada Secretaria municipal de Saúde. Em algumas cidades, a vacinação também acontece em escolas, universidades, indústrias, empresas, comércio e demais locais estratégicos. O objetivo é facilitar o acesso de crianças, jovens e adultos que fazem parte do público-alvo da imunização.

Caputo Neto ressalta que esta é a última chance para as pessoas tomarem gratuitamente a vacina antes do verão. “Adotamos a vacina como mais uma estratégia de prevenção à dengue no Paraná. A segunda dose será aplicada só em fevereiro, por isso as pessoas têm que aproveitar esta oportunidade e se proteger o quanto antes”, enfatizou.

Nos municípios de Paranaguá e Assaí, têm direito à vacina moradores com idade entre 9 e 44 anos, 11 meses e 29 dias. Nas outras 28 cidades – que incluem Foz do Iguaçu, Maringá e Londrina – a vacinação abrange a faixa etária entre 15 e 27 anos, 11 meses e 29 dias.

A definição das cidades e grupos prioritários levou em conta critérios técnicos e epidemiológicos. Para se ter ideia, os 30 municípios da campanha concentraram no último ano cerca de 80% dos casos de dengue, 93% dos casos graves e 82% das mortes pela doença no Paraná.

Segundo o coordenador estadual de Imunização, João Luis Crivellaro, a obtenção de uma boa cobertura vacinal do público-alvo tem impacto direto na proteção de toda a população do município. “Todos são beneficiados, pois será possível barrar a transmissão e reduzir significativamente a circulação do vírus da dengue em uma determinada cidade”, explicou.

Quem faz parte de grupo prioritário deve comparecer à unidade de saúde mais próxima, portando documento de identificação e comprovante de residência. Estima-se que pelo menos 341 mil paranaenses ainda não foram imunizados.

Crivellaro afirma que a vacina é extremamente segura e é resultado de 20 anos de estudos. “Ela tem uma eficácia comprovada de 66% e protege contra os quatro sorotipos da dengue”, afirmou. Segundo ele, não há o que temer. “Nesses 37 dias de campanha não tivemos nenhum relato de efeito adverso moderado ou grave. A vacina só traz benefícios para a saúde”.

Sintomas

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Por isso, o combate ao mosquito transmissor é parte importante do combate à doença: é preciso eliminar a água parada de pneus, vasos e outros locais que possam formar o ambiente ideal para que o Aedes aegypti coloque suas larvas.

A dengue pode acontecer em duas formas:

Dengue clássica

• Febre alta com início súbito.
• Dor de cabeça.
• Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento deles.
• Perda do paladar e apetite.
• Náuseas e vômitos.
• Tonturas.
• Extremo cansaço.
• Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores.
• Moleza e dor no corpo.
• Muitas dores nos ossos e articulações.

Dengue Hemorrágica

Os sintomas da dengue hemorrágica no início da doença são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre, com maior frequência, quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alarme:

• Dores abdominais fortes e contínuas.
• Vômitos persistentes.
• Pele pálida, fria e úmida.
• Sangramento pelo nariz, boca e gengivas.
• Sonolência, agitação e confusão mental.
• Sede excessiva e boca seca.
• Pulso rápido e fraco.
• Dificuldade respiratória.
• Perda de consciência.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="386437" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]