Polícia cumpre mandados de prisão relacionados à violência contra mulher

Francielly Azevedo e Vinicius Cordeiro

estupros brasil

A Polícia Civil do Paraná (PC) vai cumprindo mandados de prisão em aberto relacionados à violência doméstica em 26 municípios do estado. No balanço parcial divulgado nesta sexta-feira (8), já são 282 prisões, sendo 241 flagrantes e 41 detidos por cumprimento de mandado de prisão. Quatro dos casos são resultados de feminicídio.

A Operação Respeito foi iniciada no último sábado (2) e vai sendo finalizada hoje, data em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher. São cerca de 250 policiais civis envolvidos e o resultado final da ação será divulgada na próxima segunda-feira (11).

De acordo com a PC, foram agilizados todos os pedidos de medidas cautelares referente aos casos de violência contra mulher, que aconteceram durante o período de Carnaval. O trabalho foi intensificado para elucidar crimes de violência doméstica e feminicídios. Com isso, os agressores estão sendo identificados e presos pelos delitos.

Conscientização

Em Cascavel, as delegadas Raíssa Scariot, Mariana Vieira e Bárbara Strapasson fizeram uma apresentação da Operação ao lado do delegado-chefe da Divisão de Polícia Especializada (DPE), Alexandre Macorin. Somente neste ano, a cidade já registrou um feminicídio consumado e três tentados.

Responsável por fazer um diagnóstico dos feminicídios registrados em 2017 e 2018, Scariot afirmou que a maioria dos casos é praticado na residência da vítima e que a motivação é um sentimento de posse por parte do companheiro, principalmente quando a mulher revela um desejo de separação.

“Em razão desse sentimento de propriedade e ciúme, é cometido o ato bárbaro. É importante afirmar que não existe um padrão. Muitas vezes, um homem que nunca bateu em sua companheira, pode, em um ato impensado, cometer um feminicídio. Muitos desses autores não tinham nenhuma passagem anterior pela Polícia Civil”, destacou.

Já segundo Vieira, a operação ainda serve para disparar a campanha de conscientização para as mulheres. “Denunciar é preciso. É de extrema importância observar sinais que podem acontecer nesses relacionamentos. Analisar como essa relação se desenvolve é importante para a identificar se a situação pode evoluir de algo normal para algo letal”, completou. Segundo ela, também foi entregue um ofício ao prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, para um novo prédio da Delegacia da Mulher, visando proporcionar um melhor atendimento às mulheres.

**Com informações da Polícia Civil**

 

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.