Dengue: Paraná registra primeira morte pela doença no ciclo

O Paraná registrou na última semana novos 1.093 casos de dengue, segundo boletim divulgado pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde).

Redação - 15 de março de 2022, 19:03

Pixabay
Pixabay

O Paraná registrou na última semana novos 1.093 casos de dengue, segundo boletim divulgado pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), nesta terça-feira (15).

O registro apresenta alta de novos casos em relação ao boletim anterior, quando 311 ocorrências de dengue foram confirmadas.

Ainda foi confirmada a primeira morte neste ciclo da dengue no Paraná. A vítima é um homem de 58 anos, que apresentava comorbidades e residente de Nova Esperança, município da região noroeste do Estado.

Desde o início do ciclo no início de agosto foram confirmados 2.811 casos e um óbito no Paraná. O levantamento deste ciclo da dengue irá durar até julho de 2022.

Outros 4.970 amostras ainda aguardam análises laboratorial e 19.165 pacientes já tiveram o diagnóstico negativo para a dengue.

Já as notificações de dengue passaram de 24.155 para 27.877 nos últimos sete dias, sendo que 196 municípios do Paraná registraram ao menos um caso da doença.

Entre os municípios do Paraná, as cidades de Ampére, Arapongas, Cafelândia, Cascavel, Catanduvas, Cianorte, Cornélio Procópio, Cruzeiro do Oeste, Dois Vizinhos, Esperança Nova, Francisco Beltrão, Iracema do Oeste, Japurá, Lobato, Londrina, Maringá, Marmeleiro, Marumbi, Matelândia, Medianeira, Nova Esperança, Nova Santa Rosa, Pérola, Pinhal de São Bento, Realeza, Salto do Lontra, São Jorge do Ivaí e Umuarama apresentam casos de forma contínua nos boletins desde fevereiro.

21 das 22 Regionais de Saúde do Paraná têm ao menos um caso confirmado da doença, sendo que em 20 essas ocorrências foram autóctones, ou seja, com contaminações dentro dos municípios.

Os principais sintomas da dengue são febre alta e de forma súbita, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, náuseas, tontura e extremo cansaço. Se a doença não foi tratada, pode evoluir rapidamente para dores abdominais fortes e contínuas, vômitos, palidez, sangramentos pelo nariz, boca e gengivas.

LEIA MAIS: Flexibilização ao uso de máscaras no Paraná é aprovado na ALEP