Norte e Noroeste
Compartilhar

TJ mantém afastamento de vereadores de Londrina

O Tribunal de Justiça do Paraná negou o pedido de dois vereadores de Londrina, no norte do estado, para que eles pudesse..

BandNews FM Curitiba - 20 de agosto de 2018, 11:08

A exuberante florada de ipês rosa deste ano proporciona um belo espetáculo da natureza no entorno do prédio da Câmara de Vereadores. As árvores altas sustentam cachos exuberantes que soltam flores com o balançar do vento e cobrem o chão com um tapete rosa. Viva a Primavera e o Dia da Árvore!
A exuberante florada de ipês rosa deste ano proporciona um belo espetáculo da natureza no entorno do prédio da Câmara de Vereadores. As árvores altas sustentam cachos exuberantes que soltam flores com o balançar do vento e cobrem o chão com um tapete rosa. Viva a Primavera e o Dia da Árvore!

O Tribunal de Justiça do Paraná negou o pedido de dois vereadores de Londrina, no norte do estado, para que eles pudessem reassumir o mandato na Câmara Municipal. Com a decisão, os parlamentares Rony Alves, do PTB, e Mário Takahashi, do PV, vão ficar afastados do trabalho legislativo até janeiro do ano que vem. Os dois vereadores haviam protocolado pedido de suspensão da decisão da 2ª Vara Criminal de Londrina que determinou o afastamento por 180 dias.

ANÚNCIO

No entanto, a Justiça entendeu que a medida é legal e necessária para dar prosseguimento às investigações. Rony Alves e Mário Takahashi são réus na Operação Zona Residencial 3, conhecida como ZR3. A operação apura um esquema de pagamento de propina para vereadores mudarem a lei de zoneamento da cidade. Essa lei é a responsável por determinar que tipo de construção está autorizada nas diferentes regiões do município. Os parlamentares negam as acusações.

A Câmara Municipal de Londrina também investiga o caso. Uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – foi aberta na casa para apurar as denúncias. O relatório final da comissão deu parecer favorável à cassação dos mandatos dos vereadores. No entanto, a CPI ainda precisa ouvir o vereador Takahashi. A determinação para o depoimento é do Tribunal de Justiça do Paraná.