Núcleo do MP pretende acabar com 15 mil inquéritos parados em delegacias

Vanessa Fernandes - CBN Curitiba


Um mutirão de um núcleo do Ministério Público pretende acabar com pelo menos 15 mil inquéritos policiais parados nas delegacias. O volume desses papéis representa aproximadamente cinco toneladas.

Quase 15 mil inquéritos, registrados até 31 de dezembro de 2015, e que estavam parados em delegacias de Curitiba, agora começam a tramitar.

A criação do Núcleo de Análise de Inquéritos Policiais (Naip), em março deste ano, tem o objetivo de concluir os inquéritos policiais antigos, que estavam acumulados nos distritos policiais e em algumas delegacias especializadas.

O Naip é uma força-tarefa composta por quatro promotoras de Justiça, assessores jurídicos e estagiários, que contam ainda com apoio de uma unidade própria da Polícia Civil, com delegada, dois escrivães e três investigadores.

Com essa força-tarefa será possível indicar o arquivamento (quando não há elementos que indiquem autoria dos crimes) ou oferecer denúncia criminal, quando apontados os responsáveis, para que respondam judicialmente pelos crimes que cometeram.

São 9.954 inquéritos de crimes “comuns” (como furto, agressão, latrocínio e estelionato, entre outros) e 4.300 relacionados a violência doméstica, totalizando 14.245 investigações, que datam de períodos diversos até o final 2015.

Diferente de uma Promotoria Criminal convencional, no Naip o foco é exclusivo para esses inquéritos antigos.

Muitos casos estão sendo resolvidos com cruzamento de informações em bancos de dados e até redes sociais, bem como fazendo uso de recursos como depoimentos audiovisuais, o que dispensa a digitação das oitivas, e notificação a unidades policiais via e-mail, dispensando a circulação dos processos em papel entre delegacias. Diligências externas são feitas pelos policiais.

A equipe do Naip tem buscado as vítimas, por meio de agentes do MPPR ou da delegacia, tanto para que auxiliem na conclusão das investigações, com reconhecimento de suspeitos, quanto para que sejam informadas da situação dos inquéritos.

 

Previous ArticleNext Article