Homem que matou amante grávida é condenado a 30 anos de prisão

Andreza Rossini e Assessoria

O Tribunal do Júri de Guaraniaçu, no oeste do Paraná, condenou um homem por homicídio, com agravante de emprego de fogo e motivo torpe.

Ele matou a mulher com quem mantinha um relacionamento extraconjugal após ela engravidar e cobrar pensão alimentícia.

Temendo que ela revelasse a relação, ele ateou fogo onde a gestante de oito meses morava.

O réu já estava preso há quase um ano e meio e recebeu pena de 30 anos de prisão em regime fechado.


Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook