Onças-pintadas que mataram flamingos no Parque das Aves eram mãe e filhote: “ensinando a caçar”

Redação

Onças-pintadas que mataram flamingos no Parque das Aves eram mãe e filhote: "ensinando a caçar"

As onças-pintadas que atacaram os flamingos no Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, na região oeste do Paraná, eram mãe e filhote de um ano. A informação é do Projeto Onças do Iguaçu.

“Nessa fase, as mães estão ensinando seus filhotes a caçar. O ocorrido foi uma fatalidade (…) temos recebido muitos questionamentos e comentários sobre o comportamento das onças, alguns com conotação extremamente negativa. Onças são animais selvagens, são carnívoros, exímios predadores. Elas caçam e se alimentam de outros animais. Não são cruéis. São onças”, explicou o projeto.

ONÇAS-PINTADAS VIVEM NO PARQUE DAS AVES 

O ataque registrado na madrugada de ontem, terça-feira (9), resultou na morte de 172 flamingos do Parque das Aves. Algumas morreram devido ao estresse e outras decorrentes do ataque. Apenas quatro aves que estavam no recinto sobreviveram.

Segundo a administração do local, as duas onças-pintadas vivem na instituição: Indira e seu filhote, Aritana, que está aprendendo a caçar.

“Nos perguntam se é seguro visitar os parques. Sim, é seguro. As onças sempre existiram na região e no Parque Nacional do Iguaçu, e não há um único registro de acidentes com pessoas em toda história. As onças tendem a se afastar de pessoas e buscar refúgio na mata, que é a sua casa e seu abrigo”, detalha os pesquisadores do projeto.

“SURTO DE ONÇAS-PINTADAS EM FOZ DO IGUAÇU

De acordo com o Projeto Onças do Iguaçu, após o ataque, uma retórica que surgiu é que existiria um “surto” de onças-pintadas na região. “Esclarecemos que não temos um surto de onças. Temos uma população ameaçada, estimada em 28 animais espalhados pelos 185 mil hectares do Parque Nacional do Iguaçu. Essa é uma quantidade aliás pequena para a área em questão”, afirmou.

“Nossa equipe se solidariza e compartilha o sofrimento da equipe do Parque das Aves pela perda de animais tão especiais. Ainda assim, continuamos firmes no nosso propósito de proteger e conservar as nossas onças.

Nossas onças não precisam ser julgadas criminosas. Precisam que nós transformemos nosso amor por elas em ações de conservação. Para que elas possam ter uma chance de sobrevivência”, disse o Projeto Onças do Iguaçu.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="802469" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]