Ônibus é encontrado em pedreira na Grande Curitiba

Redação


Um ônibus foi encontrado dentro da Pedreira do Orleans, em Campo Magro, na região metropolitana de Curitiba. O veículo “abandonado” estava submerso e apareceu por conta do baixo nível de água no reservatório em meio à crise hídrica na Grande Curitiba, que sofre com a falta de chuva.

Rapidamente, imagens do ônibus circularam nas redes sociais e aguçaram a curiosidade dos internautas, principalmente sobre como o veículo teria parado no local.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Ônibus Inter 2 na pedreira desativada que fica no limite dos bairros São Braz e Orleans em Curitiba 🚎 💀 #curitibamilgraus

Uma publicação compartilhada por Marlon Ramos (@curitibamilgraus) em

A Sanepar explicou a situação do ônibus “abandonado”. De acordo com a companhia, por conta da situação de emergência hídrica em Curitiba e região, a empresa passou a captar água da Pedreira do Orleans para reforçar o nível de água na Barragem do Passaúna, em Curitiba. Com o baixo nível de água, o ônibus e outros objetos ficaram visíveis nesta semana.

Ainda conforme a Sanepar, o ônibus “abandonado” foi colocado na pedreira junto com outros equipamentos para curso de mergulho.

Quase 1 bilhão de litros de água já foram retirados da Pedreira do Orleans desde o início de julho – o que corresponde a 58% do volume total da pedreira, estimado em 1,7 bilhão de litros. A Sanepar tem captado 150 litros por segundo do local, volume suficiente para abastecer cerca de 80 mil pessoas.

Vista aérea da Pedreira do Orleans, em Campo Magro. Foto: Divulgação/Sanepar

RODÍZIO E ÍNDICE DAS BARRAGENS NA CASA DOS 30%

Desde o ano passado a estiagem severa no Paraná vem modificando paisagens como a Pedreira do Orleans e obrigando o Governo do Estado a adotar medidas restritivas. Nos últimos meses, a Sanepar implantou um sistema de rodízio no fornecimento de água em Curitiba e parte das cidades que compõem a região metropolitana. Em agosto, o modelo foi intensificado, com 36 horas com água e 36 horas sem água.

Além do rodízio, a Sanepar implantou uma série de captações alternativas de água para compensar a falta de chuvas que está abaixo da média há mais de um ano. Nesta quarta-feira (23), o índice das barragens que compõem o Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitano (SAIC) está em 30,51%. 

“Cada gota conta neste momento em que as chuvas não são suficientes e precisamos abastecer a população”, afirma o diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky.

Previous ArticleNext Article