Operação “Centro Histórico sem Drogas” mira traficantes e criminosos na Capital

Ana Cláudia Freire

operação centro histórico sem drogas, tráfico de drogas, guarda municipal, gm, polícia civil, pcpr

Uma operação conjunta da PCPR (Polícia Civil do PR), juntamente com a GM (Guarda Municipal de Curitiba) prendeu temporariamente 15 pessoas  ligadas ao tráfico de drogas no centro da cidade, além de cumprir 16 mandados de busca e apreensão.

A primeira fase da “Operação Centro Histórico” tem o objetivo de coibir o tráfico de entorpecentes nas ruas de Curitiba e outros crimes ligados ao tráfico.

Imagens Polícia Civil/PR

Segundo a delegada Maritza Maira Haisi, do 1º Distrito da Capital, a operação teve por objetivo tirar de circulação criminosos de todos os tipos, principalmente os envolvidos com o tráfico de drogas. “O Departamento da Polícia, através do 1º Distrito Policial, que é quem cobre a região central, orientou a operação tendo em vista os problemas da área central de Curitiba, com relação ao microtráfico e os crimes de pequenos furtos, que incomodam comerciantes, estudantes e transeuntes no centro da cidade”, afirmou a delegada.

DROGAS AUMENTAM HOMICÍDIOS 

O Secretário de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel, disse que a operação visa limpar o centro da cidade dos criminosos ligados ao tráfico e assim diminuir também outros delitos. “A gente tá tentando limpar o centro de Curitiba do tráfico de drogas e dos delitos que acabam tendo relação com o tráfico como os pequenos furtos, roubos, estelionatos, crimes sexuais e crime de violência contra a pessoa – especialmente crimes contra a vida. Combatendo o tráfico de drogas, se combate também os crimes de homicídios”, explicou Rangel.

Três suspeitos estão foragidos e outras duas pessoas com mandados de prisão em aberto foram presos pela GM.

As abordagens foram feitas nas praças Tiradentes, Santos Andrade, Carlos Gomes, Rui Barbosa, Afonso Botelho, Nossa Senhora de Salete, Largo da Ordem, Passeio Público, Rua XV de Novembro e outras ruas próximas a esses pontos.

As investigações começaram há três meses e foram analisadas diversas câmeras de segurança para a identificação de pessoas envolvidas com o tráfico de drogas ou em crimes oriundos ligados ao comércio de entorpecentes.

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista - Chefe de Redação do Paraná Portal