Receita Federal apreende cigarros eletrônicos no Paraná

A importação e a comercialização dos dispositivos, que têm aspecto parecido com pen drives, são proibidas no país.

Redação - 15 de julho de 2022, 08:36

Foto: Divulgação/Receita Federal
Foto: Divulgação/Receita Federal

A Receita Federal apreendeu mais de 290 mil cigarros eletrônicos em uma operação deflagrada no Paraná e em outros dez estados. A importação e a comercialização dos dispositivos são proibidas no país.

A operação deflagrada ontem (14)  contou com a participação de 199 servidores do órgão, que atuaram sobre 112 estabelecimentos. Os alvos foram abordados no Paraná e em cidades da Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Conforme a Receita, os cigarros eletrônicos são produtos proibidos de serem importados, comercializados ou serem divulgados por meio de propaganda em todo o país, por força da Resolução de Diretoria Colegiada da Anvisa (RDC nº 46, de 28 de agosto de 2009).

O valor de cada produto no mercado ilegal fica entre R$ 60,00 e R$ 620,00, podendo ter tamanhos variados. Alguns têm aspecto parecido com pen drives, o que facilita sua ocultação entre outras mercadorias.

Fiscalização no Paraná

No Paraná, 18 estabelecimentos que comercializavam ou armazenavam cigarros eletrônicos foram fiscalizados nos municípios de Curitiba, Maringá, Ponta Grossa e Sarandi. Cerca de R$ 755 mil em produtos proibidos foram apreendidos durante a ação, que teve a participação de 24 servidores da Receita Federal. A ação teve o apoio da Guarda Municipal de Ponta Grossa e da Vigilância Sanitária de Maringá.

Ainda conforme a Receita, mais dois depósitos de um mesmo proprietário foram localizados em Foz do Iguaçu contendo uma grande quantidade de cigarros eletrônicos e essências de comercialização e importação proibida. O valor da carga de produtos foi estimado em R$ 1 milhão. Participaram desta ação cinco servidores da Receita Federal, com apoio do Batalhão de Polícia de Fronteira.

O nome Ruyan, dado à operação, significa em chinês “quase como fumaça”.