Operação Tangram: suspeito de roubo a bancos é preso com ajuda de análise genética

Um suspeito de participar de roubo em três agências bancárias de Pitanga, na região central do Paraná, em 2018, foi pres..

Redação - 26 de junho de 2020, 09:58

Foto: Divulgação PF
Foto: Divulgação PF

Um suspeito de participar de roubo em três agências bancárias de Pitanga, na região central do Paraná, em 2018, foi preso na manhã desta sexta-feira (26), durante a operação 'Tangram'.

De acordo com a PF (Polícia Federal), a prisão foi possível após coleta e análise de vestígios genéticos encontrados no local do crime.

OPERAÇÃO TANGRAM INVESTIGA SUSPEITOS DE ATAQUES A BANCOS NO PARANÁ

O homem é suspeito de participar de roubo às agências da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Banco Itaú em 19 de março de 2018. A investigação teve início logo após os ataques de criminosos fortemente armados.

Durante a primeira fase da operação 'Tangram', em dezembro de 2019, foram cumpridos dois mandados de prisão e coletados 26 perfis genéticos de investigados.

Na época, os presos identificaram outros quatro indivíduos como participantes em crimes de roubo qualificado contra bancos em quatro cidades do Paraná.

Segundo a PF, o suspeito pode pegar pena de 30 anos e será indiciado pelos crimes:

  • homicídio qualificado;
  • roubo qualificado, dano qualificado;
  • posse e porte de arma de fogo de calibre permitido;
  • porte de arma de calibre restrito;

'Tangram' é um quebra-cabeça com peças de tamanhos diferentes, em alusão ao mapa que foi encontrado rasgado pelos suspeitos em um dos locais de crime.