Organização criminosa suspeita de matar casal em Matinhos é alvo de operação

Redação

Serão cumpridos 13 mandados de prisão temporária e 20 de busca e apreensão contra a organização criminosa
Médico foragido por estupro de vulnerável é preso por agentes da Polícia Civil em lava car de Curitiba

A PCPR (Polícia Civil do Paraná) cumpre nesta quarta-feira (27) 13 mandados de prisão temporária e 20 de busca e apreensão contra uma organização criminosa suspeita de matar um casal em Matinhos, no Litoral do Paraná.

Os alvos da ação são investigados pelo crime que teve como vítima Davi Luiz Slustino Lopes e Charlene Andressa Jus Maciejwski, ocorrido no dia 13 de abril deste 2020, no Balneário Gaivotas.

No dia dos fatos, o filho de Lopes, de três anos, também foi atingido por disparos de arma de fogo na perna.

CASAL ESTAVA DENTRO DE CARRO QUANDO FOI ALVEJADO

Conforme apurado, o casal e a criança estavam em um Fiat Uno, quando foram alvejados por diversos disparos de arma de fogo de calibres variados, sendo 12, 556 e 380. Os disparos teriam sido efetuados por indivíduos que saíram de uma Captiva e um Uno Vivace.

O veículo em que as vítimas estavam foi apreendido. No mesmo local, foi encontrado outro Fiat Uno, com alerta de furto e placas clonadas. Segundo as investigações, o crime foi motivado por “guerra” entre grupos criminosos rivais.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas nas cidades:

  • Matinhos;
  • Pontal do Paraná;
  • Guaratuba;
  • Joinville (SC);

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA COLOCOU FOGO EM CARROS QUE ESTAVAM NO PÁTIO DA DELEGACIA DE MATINHOS

Além do homicídio, a organização criminosa é investigada por incendiar os veículos apreendidos no caso do duplo homicídio. A queima aconteceu na madrugada do dia 17 de abril, no pátio da Delegacia de Matinhos.

De acordo com as investigações, os suspeitos queimaram os carros na tentativa de atrapalhar as diligências acerca do crime e eliminar provas que pudessem incriminar alguém do bando.

Além desses veículos, o grupo também é investigado por atear fogo em uma Lange Rover preta, logo após o duplo homicídio. Durante as investigações, a PCPR descobriu que o veículo teria vindo para o Paraná em um caminhão guincho de Santa Catarina.

Previous ArticleNext Article