Paciente toma cotovelada do médico, fratura rosto e é transferido de hospital no PR

Redação

Paciente agredido com soco e cotovelada por médico em Paiçandu conseguiu transferência para Maringá

Após ser agredido com um soco e uma cotovelada por um médico do Hospital Municipal São José, em Paiçandu, região noroeste do Paraná, Gabriel Silva, de 22 anos, conseguiu ser transferido para o Hospital Universitário de Maringá na tarde desta quinta-feira (27).

Gabriel e a esposa Gabriela Ribeiro estão passando por uma verdadeira maratona desde a agressão na última terça-feira (25). Sem um especialista para a lesão na cabeça do rapaz nos hospitais de Paiçandu, o casal ficou esperando atendimento até a transferência de Gabriel para Maringá.

“Ele teve que fazer outra tomografia, porque aquela que tinha feito não estava nítida. Ficou constatado que realmente ele sofreu um traumatismo na parede medial do lado esquerdo e agora temos que aguardar o retorno da médica sobre a necessidade de cirurgia”, explicou Gabriela.

Enquanto Gabriel aguarda pelo diagnóstico, a PCPR (Polícia Civil do Paraná) ainda não abriu investigação do caso. Segundo a corporação, apenas quando o jovem for para a delegacia e fazer o Boletim de Ocorrência será possível iniciar o inquérito contra o médico.

Quando o casal procurou a delegacia de Paiçandu na Quarta-feira de Cinzas para realizar o Boletim de Ocorrência o local estava fechado.

“O médico estava transtornado. No hospital haviam outras pessoas, que viram o que aconteceu e também foram ameaçadas por ele. O que aconteceu com o Gabriel poderia ter acontecido com qualquer um. Ele pode retornar para o hospital e fazer isso novamente. Para mim, uma pessoa que tem esse tipo de atitude não deveria ter o diploma de médico”, desabafou Gabriela.

Procurado pela reportagem, o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Hailton Joaquim de Oliveira, não atendeu as ligações realizadas. Já o Hospital Municipal São José lamentou em nota o fato e disse ainda que todos os envolvidos serão responsabilizados.

RELEMBRE O CASO

Gabriel chegou ao Hospital Municipal São José com dores no pé, após ter se contundido em uma partida de futebol. Após reclamar da demora no atendimento, o rapaz e o médico começaram o desentendimento. Primeiro com agressões verbais e depois o profissional atacou o jovem com um soco e uma cotovelada.

O rapaz desmaiou e teve uma convulsão no chão do hospital, sendo socorrido por outros funcionários do hospital. Gabriel sofre de epilepsia desde os 7 anos de idade.

“O rapaz foi atingido por um soco, na sequencia houve o desmaio e teve uma crise convulsiva. As partes foram identificas e as testemunhas também. O médico, alegando que outras pessoas estariam inflamando no local, teria se evadido, mas também está identificado. Agora cabe à polícia a apuração dos fatos”, informou o policial militar que atendeu a o ocorrência.

“Ele foi atendido por uma médica que pediu o Raio X, mas depois sumiu sem retornar com o resultado. Foi aí que o meu marido entrou na sala do médico e pediu para que ele visse o exame. Foi quando começou toda a confusão. Os dois brigaram e o meu marido acabou apanhando do médico”, finalizou Gabriela.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="685707" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]