Pai e filho especial correm contra o preconceito

Quando Lucas nasceu foi diagnosticado com microcefalia, uma condição neurológica rara em que a cabeça do bebê é menor.  ..

Simone Giacometti - 25 de fevereiro de 2019, 18:30

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Quando Lucas nasceu foi diagnosticado com microcefalia, uma condição neurológica rara em que a cabeça do bebê é menor.  Como consequência, o cérebro não cresce o suficiente e isso gera comprometimentos. No caso de Lucas, que hoje está com 25 anos, a fala e a mobilidade foram as áreas mais afetadas.   Desde a infância, os médicos orientaram a família a fazer fisioterapia para melhorar a qualidade de vida do garoto. Mas nada dava muito resultado até que Telma, mãe de Lucas, teve uma ideia: pedir ao marido, Sérgio, que voltasse a correr e levasse junto o Lucas, que é cadeirante.

Na época, Sérgio de Paula andava meio preguiçoso e em nada lembrava o atleta de 20 anos atrás.  Mesmo assim, aceitou o desafio e passou a treinar forte para recuperar a boa forma e conseguir empurrar a cadeira de rodas do enteado. Somando os 37 quilos da cadeira de rodas adaptada, mais os 45 quilos de Lucas, são 82 quilos. Sem falar no próprio peso, enfrentando as ruas nem sempre bem conservadas. Tudo foi sendo superado com muito otimismo. Lucas passou a interagir muito mais, curtir os passeios. E entre uma ladeira mais íngreme e outra, a dupla foi conquistando confiança para participar das corridas.

Isso foi há 4 anos...de lá para cá, Sérgio e Lucas só acumulam troféus e medalhas. São mais de 70 espalhados pela casa e os dois seguem com agenda cheia.

"Lucas é meu filho do coração e me fez enxergar que ser pai de uma criança especial é algo maravilhoso. Toda família se envolve nas corridas.  Minha esposa faz as inscrições e organiza tudo que precisa para gente correr com tranquilidade. Meu filho mais velho Matheus aprendeu a amar o irmão e enxergar a inclusão como algo natural. Gabriel, irmão do meio de Lucas, também começou a correr por causa dele. E tem ainda minha filha caçula de 7 anos, a Isa. Ela está sendo preparada para me substituir nas corridas", conta ele.

Sérgio conta que uma das participações mais emocionantes aconteceu na Corrida Internacional de São Silvestri, realizada sempre em 31 de dezembro pelas ruas de São Paulo. O percurso de 15 km tem vários trechos com subidas e descidas e tem a participação popular muito intensa ao longo de todo caminho. Por onde passava, Lucas recebia o carinho das pessoas. "Esse envolvimento todo nos deixa muito felizes. As pessoas sabem que a gente corre por uma boa causa. Nós somos um só quando estamos correndo", conta Sérgio.

Pelo menos 5 vezes por semana a rotina de Sérgio inclui treinamento especial com levantamento de peso, treinos aeróbicos e corridas.  A filha é parceira e não deixa ninguém ficar parado. Aos 7 anos, ela também já se considera uma corredora e participa de corridas para crianças.  A irmãzinha é uma das maiores fãs de Lucas e sempre está à espera dele na linha de chegada.

As próximas corridas já estão agendadas. Dia 17/03 a dupla vai correr 10 km na  4ª Corrida Solidária Provopar Estadual e BPTran, realizada pelo BPTran e Provopar Estadual sob a coordenação técnica e estrutural da Elite Eventos, inserida nas comemorações alusivas aos 67 anos do BPTran. O evento será disputado em Curitiba,  a partir das 7 da manhã.   Dia 24/03 tem a 1ª Corrida do Atlético Paranaense,com percursos de 5 e 10 km. Dia primeiro de março tem a corrida The Hardst Run , que vai arrecadar recursos para a construção do Erastinho,  primeiro hospital oncopediátrico do Paraná.

Confira algumas fotos na galeria.