Pais devem levar crianças menores de 6 anos para se vacinar contra a gripe

CBN Curitiba

Mais da metade do público prioritário da campanha de vacinação da gripe ainda não se imunizou. Desde o dia 10 de abril até esta terça-feira (14) foram aplicadas 252 mil doses em Curitiba – uma cobertura de 47% da população-alvo.  

A vacina é oferecida gratuitamente ao público prioritário em 110 unidades de saúde de Curitiba, de segunda a sexta-feira, até 31 de maio.

Os grupos com as menores coberturas até o momento são as crianças entre 6 meses e menores de 6 anos, com 40%, e os doentes crônicos, com 29%.

De acordo com o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Alcides Oliveira, é preocupante a baixa cobertura nestes dois grupos, já que são compostos por pessoas que costumam ser bastante afetadas pela gripe, doença que pode trazer várias complicações e, inclusive, levar a morte.

“É preciso que doentes crônicos e as crianças sejam imunizados. A vacina é segura e está disponível gratuitamente nas unidades de saúde, não tem por que não fazer”, explica Oliveira.

Além das crianças e dos doentes crônicos, fazem parte do grupo prioritário, definido pelo Ministério da Saúde, pessoas com 60 anos de idade ou mais, gestantes, mães de bebês nascidos há até 45 dias, crianças, profissionais da saúde e professores da rede pública e privada.

As mães de bebês nascidos há até 45 dias são as que apresentam maior cobertura até o momento, com 96%. Em seguida, estão os idosos, com uma cobertura de 68%; os professores, com 56%, e as gestantes, com 48%.

Segundo Oliveira, as complicações relacionadas a gripe podem gerar, inclusive, aumento na procura pelos pronto-atendimentos da cidade. “Os pais e responsáveis podem evitar isso levando os filhos para se vacinarem”, diz.

Em relação aos doentes crônicos (lista abaixo), de acordo com Oliveira, é provável que alguns não saibam que podem se vacinar gratuitamente nas unidades. “Os doentes crônicos que fazem acompanhamento na unidade de saúde podem procurar o seu posto de referência diretamente para se vacinar. Se faz o acompanhamento fora deve trazer a prescrição médica para a vacina”, explica Oliveira.

A cobertura entre os profissionais da saúde também é baixa, com apenas 19%. Mas neste caso há uma explicação. “Os profissionais de saúde costumam fazer a vacina no próprio local de trabalho, então há um pequeno atraso na atualização do nosso sistema”, explica Oliveira.

Público-alvo da campanha da gripe

– Puérperas (mães com bebês de até 45 dias)

– Idosos com 60 anos de idade ou mais

– Gestantes

– Crianças entre 6 meses e menores de 6 anos

– Profissionais da saúde

– Professores da rede pública e privada

– Doentes crônicos ou outras condições clínicas especiais, como:

Doença respiratória crônica (asma, insuficiência respiratória e problemas pulmonares graves)

Doença cardíaca crônica (problemas graves no coração, pressão alta junto com outras doenças)

Problemas graves nos rins ou fígado 

Diabetes

HIV/Aids

Obesos (grau III)

Transplantados

Doenças neurológicas graves e/ou que afetem o sistema respiratório

Trissomias, como síndrome de Down, Klinefelter, Wakany

 

 

Previous ArticleNext Article