Paraná é o sétimo estado com maior número de internações por acidentes com fogos de artifício

Francielly Azevedo


Um levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM) aponta o Paraná como o sétimo estado brasileiro com maior número de internações causadas por acidentes com fogos de artifício. Entre 2008 e 2017, foram registrados 179 internamentos em hospitais paranaenses. Em todo o país, foram 5.063 no período. O estudo, divulgado em junho, foi feito em parceria com as Sociedades Brasileiras de Cirurgia de Mão (SBCM) e de Ortopedia e Traumatologia (SBOT). A pesquisa analisou as informações do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS) dos últimos 10 anos.

A médica do departamento de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado da Saúde, Beatriz Monteiro, explica que usados de forma inadequada, os fogos de artifício podem causar sérias lesões. Além do risco de queimaduras graves, especialmente na área da face, pescoço e membros superiores, outro problema comum são os traumas, principalmente nas mãos.

Segundo a especialista, os danos podem ser severos, incluindo mutilações irreversíveis, como a perda dos dedos ou da mão. “São lesões muito graves e que normalmente deixam sequelas ou podem até causar a morte da vítima. Por isso é necessário ter cuidado”, diz Beatriz.

De acordo com os dados da pesquisa do CFM, SBCM e SBOT, homens são a maioria das vítimas. Dos 5.063 internamentos registrados no país nos últimos 10 anos, 83% envolvem vítimas masculinas. Mulheres são responsáveis por 17% dos internamentos. Outro dado preocupante é o número de internamentos de crianças e adolescentes, que chegou a 39% dos casos no período.

CUIDADOS

Os fogos de artifício podem causar acidentes quando apresentam defeitos de fabricação e montagem ou são manipulados incorretamente. Por isso, um dos primeiros cuidados para quem quer usar fogos é fazer a compra apenas em lojas devidamente licenciadas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública, através da Delegacia de Explosivos, Armas e Munições. Os fogos também não devem ser modificados, adaptados ou reaproveitados, pois qualquer alteração compromete a segurança do produto.

Na hora de disparar os fogos, deve-se seguir corretamente as instruções constantes nos rótulos dos produtos. Quem estiver alcoolizado ou sob efeito de drogas não deve manipular fogos de artifício. Crianças devem ser mantidas a distância. “Manipular fogos de artifício exige plena consciência e controle, coisas que uma criança ou um adulto sob efeito de álcool ou drogas não possui. Ter acesso a fogos nesse estado é um grande risco”, diz Beatriz.

EMERGÊNCIA

Em casos de acidentes com fogos de artifício, a conduta correta é procurar atendimento médico especializado. Dependendo da gravidade, os serviços de emergência (Samu – 192 e Siate – 193) devem ser acionados imediatamente para socorrer a vítima no local da ocorrência.

Dicas para usar fogos de artifício com mais segurança

– Compre fogos de artifício apenas em lojas credenciadas.

– Não guarde fogos em casa.

– Siga sempre as orientações e normas de segurança indicadas no rótulo do produto.

– Não manipule fogos sob efeito de álcool, drogas ou medicamentos.

– Evite o acesso de crianças aos fogos.

– Se um fogo de artifício falhar, não tente reacendê-lo.

– Não solte fogos em locais fechados, ou próximo de árvores, fiações elétricas ou produtos inflamáveis.

– Para disparar os fogos, prefira usar extensores ou bases fixas.

– Mantenha sempre água ou um extintor próximo caso seja necessário.

**Com informações da Agência Estadual de Notícias**

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="534012" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]