Paraná aplica lei-seca de madrugada e restringe eventos em novo decreto

Jorge de Sousa

Paraná aplica lei-seca de madrugada e restringe eventos em novo decreto

O Governo do Paraná editou o decreto 6294/2020 na noite desta quinta-feira (3), e com o objetivo de conter o aumento dos casos da Covid-19 irá promover lei-seca durante a madrugada e redução no número de participantes em eventos.

Dessa forma, não será permitida a comercialização e consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas das 23h às 5h, mesmo horário determinado no decreto do toque de recolher, divulgado pelo Governo do Paraná anteriormente nesta semana.

Apenas agentes de saúde, segurança, limpeza pública, além dos responsáveis pela produção, distribuição e comercialização de alimentos estão liberados a trabalharem durante o toque de recolher.

“Essas medidas são fundamentais. É claro que o vírus não tem horário, mas cerca de 15% dos nossos leitos de UTI são usados em decorrência de traumas. Em muitos casos por pessoas que bebem, pegam o carro e acabam se acidentando. Isso libera leitos para combater o coronavírus, para dar assistência a quem está contaminado”, explicou o governador do Paraná, Ratinho Junior.

Já os eventos e confraternizações terão limite máximo de dez pessoas como participantes, sendo que crianças de até 14 anos não serão contabilizadas nessa regra.

Apenas eventos que não permitam o contato físico entre os participantes, como os do modelo drive-in, estão liberados.

O decreto 6294/2020 ainda recupera duas resoluções de regimentos anteriores: limitação da capacidade de cultos religiosos em até 30% do espaço e teletrabalho na administração estadual (com exceção das secretarias da Saúde, Segurança Pública e Fazenda).

Essas medidas foram elaboradas em conjunto com as 29 cidades que formam a Assomec (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba), sendo que os municípios terão liberdade de redigirem decretos próprios para adequarem as regras às particularidades locais.

“Essas medidas são fundamentais. É claro que o vírus não tem horário, mas cerca de 15% dos nossos leitos de UTI são usados em decorrência de traumas. Em muitos casos por pessoas que bebem, pegam o carro e acabam se acidentando. Isso libera leitos para combater o coronavírus, para dar assistência a quem está contaminado”, ressaltou Ratinho Junior.

“É um dos piores momentos da pandemia. Precisamos da colaboração de todos, para que respeitem esse novo decreto, especialmente evitando aglomerações. Peço a ajuda do povo do Paraná para enfrentar esse vírus com inteligência”, finalizou Ratinho Junior.

As medidas previstas pelo decreto 6294/2020 são válidas pelos próximos 15 dias, com a possibilidade de prorrogação do regimento.

Somente nesta quinta-feira, o Paraná registrou novos 2.628 casos e 75 mortes em decorrência da Covid-19, sendo que a média móvel dos últimos 14 dias cresceu 16,9%.

A macrorregião Leste, que abrange a Região Metropolitana de Curitiba e o Litoral, lidera a taxa de ocupação dos leitos de UTI no Paraná com 91% de lotação.

LEIA MAIS: Governo do Paraná adia prova do PSS em sete dias; MP recomenda suspensão

Previous ArticleNext Article