Paraná tem pior índice de resolução de homicídios do Brasil, aponta pesquisa

Redação

onde mora a impunidade, homicídios, esclarecimento de homicídios, resolução de homicídios, paraná, polícia civil, pcpr, instituto sou da paz

O Paraná é o pior estado do Brasil no ranking de resolução de homicídios, segundo a pesquisa “Onde Mora a Impunidade”, do Instituto Sou da Paz, divulgada nesta quarta-feira (13).

De acordo com o levantamento, que considerada os dados do ano de 2018, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, o Estado esclareceu apenas 12% dos assassinatos.

Próximo ao Paraná aparece o Rio de Janeiro, com 14%. As duas unidades da federação ficam muito distantes da média nacional, que foi de 44% de homicídios solucionados.

Os estados com melhores indicadores na 4ª edição da Pesquisa Onde Mora a Impunidade são Mato Grosso do Sul (89%), Santa Catarina (83%) e Distrito Federal (81%).

O Instituto Sou da Paz destacou que, embora o Paraná esteja na última colocação do ranking, os 12% de homicícios solucionados representam um aumento em relação à pesquisa anterior.

“É importante reconhecer o avanço no percentual de esclarecimento de homicídios no Brasil, que aumentou 12% em relação à última edição da pesquisa”, comemora Carolina Ricardo, diretora-executiva do Instituto Sou da Paz.

Entre as sugestões para melhorar a resolução de homicídios, o Instituto propõe a modernização da gestão, melhoria na infraestrutura e remuneração da Polícia Civil e padronização e integração dos sistemas de informação.

OUTRO LADO

Procurada pela reportagem, a SESP-PR (Secretaria de Estado da Segurança Público e Administração Penitenciária) afirmou que o assunto é de competência da Polícia Civil.

Em nota, a corporação explicou que não poderia comentar os dados de 2018 sem antes fazer uma análise completa das informações divulgadas pelo Instituto Sou da Paz.

A partir de 2019, com a nova gestão da Polícia Civil, a corporação afirma que o índice de solução de homicídios aumentou, chegando a 66% no ano passado. Considerando apenas Curitiba, 90% dos casos foram solucionados.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="796321" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]