Paraná terá quatro escolas cívico militares a partir de 2020

Redação

escolas cívico-militares - Paraná - ensino regular - colégio

A Secretaria da Educação e do Esporte definiu que quatro colégios paranaenses serão transformadas em escola cívico-militares em 2020, seguindo o Programa Nacional Escolas Cívico-Militares, do Ministério da Educação e Cultura.

Os colégios selecionados pela Secretaria foram:

  • Colégio Estadual Beatriz Faria Ansay, em Curitiba;
  • Colégio Estadual Professora Adélia Barbosa, em Londrina;
  • Colégio Estadual Tancredo Neves, em Foz do Iguaçu;
  • Escola Estadual Vinícius de Moraes, em Colombo.

Essas escolas foram selecionadas pelo interesse da comunidade, que aprovou a mudança das escolas para o ensino cívico-militar. Além disso, foi verificado pela Secretaria um perfil de vulnerabilidade social nesses locais.

DIFERENÇAS COM O ENSINO REGULAR

Os alunos dos colégios cívico-militares terão uma aula a mais por dia do que os estudantes das escolas de ensino regular, totalizando 800 horas-aula de diferença por ano letivo. Além disso, serão realizadas semanalmente aulas de civismo e cidadania para os jovens.

Essas escolas irão seguir tendo a tutela da Secretaria em corpo docente, currículo e trabalho didático-pedagógico. A diferença para os colégios regulares é que essas instituições terão o apoio de militares da reserva do Exército Brasileiro, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.

Já em comparação com os Colégios Militares, a principal diferença é o ingresso dos alunos. Enquanto os Colégios Militares realizam um processo seletivo com os estudantes, nas escolas cívico-militares as inscrições são feitas pela rede pública de ensino, não necessitando qualquer prestação de concurso público.

“Estamos trabalhando para implementar o modelo de escola cívico-militar, segundo as diretrizes do MEC, e realizando os ajustes necessários às peculiaridades das nossas escolas a fim de que, ao final do ano, o Estado do Paraná tenha um modelo próprio de escolas cívico-militares que servirá de base para futura ampliação”, explicou o diretor de Educação, Raph Gomes Alves.

Cada escola cívico-militar irá custar R$ 1 milhão por ano, sendo esse recurso financiado pelo MEC com as secretarias estaduais cobrindo os demais gastos acima dessas cifras.

Previous ArticleNext Article