Paraná registra mais 26 casos de sarampo em uma semana

Francielly Azevedo

sarampo, paraná, curitiba, surto, casos confirmados, confirmações, vacina, prevenção, vacinação

O Paraná registrou 26 novos casos de sarampo na última semana, de acordo com o último boletim da doença divulgado pela SESA (Secretaria de Estado da Saúde), nesta quinta-feira (26). Até o último dia 21 de setembro, o estado contabilizou 39 pessoas com sarampo.

Além disso, 217 casos estão sob investigação e outros 37 foram descartados. A cidade de Curitiba é a que concentra o maior número de registros, com 28 casos confirmados, cinco descartados e 98 em investigação.

Os municípios com casos de sarampo confirmados são:

  • Campina Grande do Sul, com 1 caso.
  • Campo Largo, com 1 caso.
  • Colombo, com 2 casos.
  • Curitiba, com 28 casos.
  • Fazenda Rio Grande, com 1 caso.
  • Pinhais, com 1 caso.
  • Ponta Grossa, com 1 caso.
  • Maringá, com 2 casos.
  • Rolândia, com 1 caso.
  • Jacarezinho, com 1 caso.

Em relação a faixa etária, a maioria dos casos confirmados está entre 20 a 29 anos.

  • 0 a 6 meses – 2 casos
  • 10 a 19 anos – 5 casos
  • 20 a 29 anos – 23 casos
  • 30 a 39 anos – 2 casos
  • 40 a 49 anos – 5 casos
  • 50 a 59 anos – 2 casos

SARAMPO

O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro.

Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e manchas avermelhadas na pele.

VACINA

A vacina é a maneira mais eficaz de prevenir a doença.

Confira o calendário:

  • Dose zero: crianças entre seis e onze meses.
  • Dose 1: aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral (que previne sarampo, caxumba e rubéola).
  • Dose 2: aos 15 meses com a vacina tetra viral (que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora).
  • A população com até 29 anos deve receber duas doses da vacina.
  • Pessoas que estão no grupo com idade entre 30 e 49 anos basta ter o registro de uma dose.
  • Acima dos 50 anos, a vacina é indicada apenas nos casos de bloqueio vacinal após a exposição com casos de suspeita da doença ou confirmados.

O Ministério da Saúde orienta que além de vacinar as crianças na faixa etária prioritária, a realização do bloqueio vacinal, ou seja, em situação de surto ativo do sarampo, quando identificado um caso da doença em alguma localidade, é preciso vacinar todas as pessoas que tiveram ou tem contato com o paciente em até 72 horas. Neste caso, não há necessidade de revacinação das pessoas que já foram vacinadas anteriormente e que tem comprovação vacinal.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="660097" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]