Paraná vai receber imunização contra febre amarela em julho

O Ministério da Saúde anunciou a ampliação da vacina contra febre amarela para todo o Brasil, na terça-feira (20). A imu..

Andreza Rossini - 21 de março de 2018, 10:58

Ministério da Saúde inaugura nova linha de produção da vacina de febre amarela. Embu das Artes (SP), 25/01/2018. Foto: Rodrigo Nunes/MS
Ministério da Saúde inaugura nova linha de produção da vacina de febre amarela. Embu das Artes (SP), 25/01/2018. Foto: Rodrigo Nunes/MS

O Ministério da Saúde anunciou a ampliação da vacina contra febre amarela para todo o Brasil, na terça-feira (20). A imunização vai começar neste ano e seguir até abril de 2019.

Atualmente, alguns estados do Sul, Sudeste e Noroeste não fazem parte da área de proteção. Com a inclusão de novos estados, a estimativa é que sejam vacinadas 77,5 milhões de pessoas em todo o Brasil.

“Estamos agindo antecipadamente ao estabelecer um cronograma para vacinar toda a população brasileira. É uma ação de prevenção, não de emergência. Buscaremos os mecanismos necessários para vacinar todos brasileiros ainda não imunizados dentro da cobertura adequada para cada uma dessas áreas. Vamos fazer por precaução, pois a melhor forma de evitar a doença é vacinando a população”, afirmou o ministro Ricardo Barros.

Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia são os primeiros a estenderem a vacinação, que começou neste ano, a todos os municípios. Apenas estes três estados continuarão vacinando a população com a dose fracionada, seguindo a Campanha de Fracionamento da Vacina de Febre Amarela deste ano. Serão contempladas 40,9 milhões de pessoas nestes estados.

Em seguida, em julho deste ano, os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul adotarão a vacina padrão em todos os municípios para mais 11,3 milhões de pessoas.

Em 2019

Em janeiro de 2019, os estados do Nordeste começam a vacinação da dose padrão. Os estados do Piauí, Paraíba, Pernambuco, Ceará, Alagoas e Sergipe e Rio Grande do Norte totalizarão 25,3 milhões de pessoas. O estado do Maranhão não entra nessa medida porque já é considerado área com recomendação de vacina, ou seja, a vacina da febre amarela faz parte da rotina do estado.