Participação das mulheres no mercado de trabalho aumenta no Paraná

Mariana Ohde


A participação das mulheres no mercado de trabalho do Paraná está aumentando – em 2010, 43% da força de trabalho empregada nas empresas no estado era formada por mulheres. Em 2014, esse porcentual estava em 45%. Os dados são do Cadastro Central de Empresas (Cempre), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

1,09 milhão de mulheres estavam empregadas no Paraná em 2010. Em 2014, esse número alcançou 1,31 milhão, uma evolução de 20%.

O diretor presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), Júlio Suzuki Júnior, afirma que, aos poucos, a maior proporção de mulheres no total da população, começa a se reproduzir também no mercado de trabalho. “Isso se dá com mais presença no mercado e, também, com a diminuição da diferença de salários em relação aos homens”, diz ele.

Conforme os dados do Cempre, as mulheres também têm, hoje, mais anos de estudo do que os homens. O avanço das mulheres no mercado de trabalho paranaense supera o crescimento brasileiro, de 16% no período. Entre 2010 e 2014, o número de mulheres no mercado nacional evoluiu de R$ 18,1 milhões para 20,9 milhões de mulheres.

Porém, as mulheres ainda recebem menos do que os homens. A diferença, contudo, vem caindo nos últimos anos. De acordo com o IBGE, em termos salariais, em 2014, os homens receberam, em média, R$ 2.521,07 e as mulheres, R$ 2.016,63. Ou seja, o salário das mulheres era equivalente a 80,0% do salário dos homens. A diferença entre os salários caiu de 25,3 % em 2012 para 25% em 2014.

Empregados assalariados

O Paraná também registrou aumento no número de empregados assalariados entre 2010 e 2014, de acordo com o IBGE. O número passou de 2,52 milhões para 2,92 milhões de pessoas, crescimento de 15,8% no período.

São Paulo registrou um aumento de 11,6%, Santa Catarina (14,1%), Rio Grande do Sul (12,3%), Rio de Janeiro (4,7%), Espírito Santo (11,9%) e Minas Gerais (10,3%).

Suzuki Júnior lembra que o desempenho da economia do Paraná foi importante para a evolução dos indicadores. Houve crescimento impulsionado pela agropecuária, pela indústria automotiva e pelo setor de serviços. Um levantamento Ipardes com base no índice de atividade econômica divulgado pelo Banco Central mostra que entre 2011 e 2014 o Paraná cresceu, em média, 2,94% ao ano. O Brasil, no mesmo período, avançou 1,74%.

Além de boas safras agrícolas e do crescimento do setor de carnes, a indústria de transformação, puxada pelo setor automotivo, cresceu embalada pelo crédito e pelo avanço do consumo. O aumento da massa salarial também impulsionou o crescimento do setor de serviços.

“Foi a partir de 2014, quando a conta chegou e a economia brasileira entrou em desaceleração, que houve piora de alguns indicadores”, diz Suzuki Júnior.

A pesquisa do IBGE mostra, ainda, queda no número de empresas ativas por conta crise. Em 2014, o Paraná tinha 448,2 mil empresas ativas, o que representou um recuo de 3% sobre os números de 2013. No Brasil, a queda no número de empresas ativas foi de 5,4%, para 5,1 milhões.

(Com informações da AEN)

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal