Pastor é preso no Paraná suspeito de estuprar criança de 5 anos

Redação

POLICIA CIVIL

Um pastor de 64 anos foi preso nesta sexta-feira (8) suspeito de estuprar uma criança de cinco anos, do próprio círculo familiar, em Londrina, na região norte do Paraná. De acordo com a PC (Polícia Civil), o crime aconteceu em 2020.

Ouvida pelo Paraná Portal, a delegada Lívia Pini, da PC, revelou que outra vítima se apresentou na Nucria (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes) para relatar outro ataque do suspeito. Esse segundo caso teria acontecido há mais de 30 anos, quando a mulher ainda era menor de idade.

“Essa segunda vítima é uma vizinha dele, já adulta. Ela resolveu contar porque ficou sabendo dessa nova suspeita e quis reforçar o caso”, relata a delegada.

A prisão preventiva, ou seja, por tempo indeterminada, foi cumprida por dois motivos: o fato de existir mais de uma vítima e existir o risco do crime ser cometido novamente. “A vítima atual era do círculo familiar, tinha fácil acesso a ela. Nesse caso, tínhamos essas duas situações”, completa Pini.

SUSPEITO NÃO SE APROVEITAVA DA SUA FUNÇÃO COMO PASTOR, DIZ POLÍCIA

De acordo com a delegada Lívia Pini, não é possível afirmar que o homem não se aproveitava da função de pastor na Igreja para cometer os crimes. Apesar ser conhecido na região, os crimes têm um caráter mais “familiar” já que a segunda vítima se trata de uma vizinha. Ou seja, não há qualquer relação entre o trabalho desenvolvido por ele.

Para a polícia, o relatos das duas vítimas corroboram no acontecimento dos fatos, sendo que a criança de cinco anos foi ouvida com os familiares presentes.

“Existe um relato que teria possível outra vítima familiar e possibilidade de outras vítimas. Vamos fazer mais duas diligências, sendo uma delas o depoimento de suposta testemunha”, completa Pini.

Na teoria, a Polícia Civil tem até 10 dias para concluir o inquérito. A expectativa, no entanto, é que o resultado das investigações seja enviado até a próxima sexta-feira (15) ao MP-PR (Ministério Público do Paraná). O pastor já foi indiciado por estupro de vulnerável, que tem pena de 8 a 12 anos de prisão conforme o Código Penal.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="738104" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]