Pesquisa de preço ajuda a diminuir os gastos na volta às aulas

Conteúdo patrocinado

Investir em livros usados também é uma alternativa para pais que precisam economizar

Volta às aulas é sempre a mesma coisa: quem tem filho, recebe uma lista da escola e precisa se preparar para as compras do material escolar. São cadernos, livros, lápis de cor, mochila e tantos outros itens que, apesar de necessários, pesam no bolso no início do ano. As compras são inevitáveis, mas os pais que querem economizar precisar estar atentos para algumas lições antes de adquirir os produtos.

Além dos gastos com material escolar, aumenta também a lista de despesas matrícula, uniforme, transporte. Diante de tantas responsabilidades, todo brasileiro busca um pouco de economia. Pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE) indica que as contas podem ficar um pouco mais altas em 2019, já que os preços da categoria varejo subiram, em média, 1,02% no acumulado do ano passado.

De acordo com a mesma pesquisa, os livros didáticos tiveram alta de 0,5% nos preços em 2018, enquanto os não didáticos, como livros de literatura, subiram 0,46%. Entretanto, não são apenas os preços que merecem uma atenção especial. É preciso ficar atento também a alguns itens que não podem ser pedidos pelos colégios. A lei do consumidor proíbe que as instituições de ensino da educação básica, indiquem lojas, marcas ou modelos de mercadorias. Os produtos de uso coletivo também precisam ser fornecidos pelo colégio.

Como são muitas opções de lojas para realizar as compras, uma das sugestões é fazer uma comparação de preços em lugares diferentes. Quando encontrar o lugar ideal, prefira pagar à vista, essa escolha tem a vantagem de não prolongar os gastos. Caso não tenha dinheiro em mãos, pague no crédito, mas sem juros.

A troca ou compra de itens usados é outra alternativa, principalmente em relação a compra de livros. Em alguns casos, comprá-los pela internet pode reduzir os gastos em até 50%. Mas atenção: quem for comprar online deve ficar atento ao estado de conservação dos produtos.

É possível economizar de outras formas, principalmente na matrícula do pequeno. Programas como o Educa Mais Brasil oferecem desconto na mensalidade escolar. Com 15 anos de atuação, o Educa já beneficiou 900 mil alunos com suas bolsas de estudo. Interessados podem acessar o site do Educa Mais Brasil para conferir todas as oportunidades disponíveis na sua região. Ao todo, são 300 mil vagas ofertadas em todo Brasil para a educação básica com descontos de até 50%. A inscrição é gratuita.

Agência Educa Mais Brasil

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="586799" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]