PF prendeu 15 por roubo no Paraguai e valor exato ainda não foi divulgado

Narley Resende


A PF (Polícia Federal) prendeu ontem à tarde em Itaipulândia (PR), próximo à fronteira com o Paraguai, mais um suspeito de ligação com o mega-assalto à sede da empresa Prosegur em Ciudad del Este, a 4km da fronteira com o Brasil. Com isso já são 15 detidos pelo roubo, ocorrido na madrugada da última segunda-feira.

Três dias após o crime, as autoridades confirmam a recuperação de R$ 4,65 milhões com os suspeitos (em cédulas de reais, dólares e guaranis), mas ainda não dizem quanto exatamente foi levado da empresa.

Logo após o crime se estimou em US$ 40 milhões, número que foi ‘revisado’ para US$ 9 milhões, mas até a noite de ontem o Ministério Público paraguaio e a própria Prosegur não deram uma estimativa oficial.

Todos os 15 presos pelo crime são brasileiros e foram detidos no Oeste do Paraná. Alguns têm ligação provável ou comprovada com o PCC (Primeiro Comando da Capital), que teria planejado o crime. Os suspeitos que não foram presos em confronto – três deles morreram em tiroteio com a polícia – acabaram capturados dentro de ônibus, buscando se afastar da região. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) já interceptou suspeitos que tentavam viajar para São Paulo e Rio de Janeiro.

As investigações seguem para identificar o restante da quadrilha, já que cerca de 50 pessoas teriam participado do crime. Na madrugada do assalto, o grupo incendiou 15 veículos, rechaçou a polícia com armas de alto poder de fogo e deixou morto um policial paraguaio.

Além do dinheiro, a PF apreendeu 7 fuzis – incluindo um calibre .50, capaz de perfurar aço blindado –, uma pistola, 7kg de explosivos e duas embarcações usadas na fuga.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="427470" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]