Plano prevê revitalização do Rio Iguaçu em 40 anos

Mariana Ohde


Os membros do Grupo Gestor do Rio Iguaçu (GGRI) discutiram nesta terça-feira (10) o termo de referência para elaboração do Plano de Revitalização do Rio Iguaçu, que tem, entre outros objetivos, garantir água em qualidade e quantidade para a população e promover o desenvolvimento sustentável nos 109 municípios paranaenses que integram a bacia hidrográfica. O termo de referência deverá balizar os projetos e os planos de ação a ser elaborados pelo Lactec. De acordo com José Luiz Scroccaro, coordenador de Recursos Hídricos e Atmosféricos da Secretaria de Meio Ambiente e que apresentou o termo de referência, “com bons projetos, ações integradas e recursos financeiros bem aplicados, o Rio Iguaçu pode ser totalmente revitalizado em 40 anos”.

Um dos desafios é melhorar a qualidade da água para que o leito principal do Rio atenda a Resolução do Conama 357/2005 e se enquadre na Classe 2 e os afluentes na Classe 3.

Entre as ações que devem ser implementadas está a estruturação de um banco de dados do Iguaçu; a construção do Sistema de Informações Geográficas (SIG); a criação do Portal WEB-SIG; elaboração da análise estratégica quanto ao uso e ocupação do solo; elaboração dos cenários de qualidade e quantidade de água no Rio nos próximos 10, 20, 30 e 40 anos; a definição das diretrizes para conservação dos mananciais; avaliação da carga de poluição difusa que chega ao Iguaçu, em consequência de atividades agrícolas e industriais.

O coordenador do GGRI, Mario Celso Cunha, explica que o Lactec deverá concluir o trabalho previsto no termo de referência em 30 meses. O contrato com o Lactec deve ser assinado nos próximos dias.

O coordenador da Câmara Temática de Saneamento, Ernani José Ramme, apresentou várias ações e projetos em andamento, que já contribuem para a revitalização do Iguaçu. De acordo com o seu Plano Diretor de Esgoto, a Sanepar está investindo na ampliação da coleta e tratamento do esgoto doméstico na Região Metropolitana de Curitiba. As obras contribuem para evitar o lançamento de carga orgânica na bacia do Iguaçu.

Por meio do Programa de Revitalização de Rios Urbanos, a Sanepar monitora a qualidade da água dos rios, com a detecção imediata do lançamento do esgoto nos rios e córregos. Os moradores vizinhos são os parceiros fundamentais deste programa. Ernani também apresentou outras iniciativas, como o projeto na área de resíduos sólidos sob a responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e o de reserva especial, da Coordenadoria da Região Metropolitana de Curitiba (Comec).

A coordenadora de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente e coordenadora da Câmara Temática de Educação Ambiental e Mobilização do GGRI, Daniela Miranda, anunciou que em junho a Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e o Governo do Estado devem assinar o termo de adesão dos 109 municípios que integram a Bacia do Rio Iguaçu.

Em julho, será promovida a capacitação para multiplicadores técnicos das prefeituras. O objetivo é, por meio de responsabilidades compartilhadas e participativas, internalizar a educação ambiental nas escolas, no espaço escolar e em ambientes informais. “A participação da sociedade é imprescindível”, diz Daniela.

GGRI

O GGRI – O Grupo Gestor do Rio Iguaçu (GGRI) foi criado pelo Decreto 1589/2015. Tem por objetivo promover ações para revitalização, despoluição e preservação do maior rio do Paraná – o Iguaçu. O Grupo é composto por representantes das secretarias estaduais do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Agricultura e do Abastecimento, do Planejamento e Coordenação Geral e do Desenvolvimento Urbano, além da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), da Companhia Paranaense de Energia (Copel), Instituto das Águas do Paraná (AguasParaná), Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Casa Civil, Institutos Lactec, Adapar e ParanáCidade.

Outras instituições também se agregaram ao projeto, como a Associação dos Municípios do Paraná, Polícia Federal, Paraná Metrologia, Rotary Club, Ministério Público, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e Prefeitura de Curitiba, entre outras.

O GGRI tem reunião ordinária, nas instalações da Sanepar, todos os meses. É formado por sete câmaras temáticas: Educação Ambiental e Mobilização; Segurança Ambiental, Hídrica e Geral; Saúde e Vigilância Sanitária; Saneamento; Biodiversidade; Captação de Recursos e Projetos; e de Articulação Política.

Rio Iguaçu

Com as nascentes localizadas na Serra do Mar, o Iguaçu recebe este nome na confluência dos rios Atuba e Iraí. O ponto exato está sob a ponte da BR-277, sentido praias, na divisa entre os municípios de Curitiba e São José dos Pinhais. O Iguaçu atravessa o estado e, após as cataratas, no município de Foz do Iguaçu, desemboca no Rio Paraná, no marco das três fronteiras – Brasil, Argentina e Paraguai.

Dos 399 municípios paranaenses, 109 pertencem à Bacia do Iguaçu, dividida em Alto, Médio e Baixo Iguaçu. Nestas áreas estão 33% do território do Paraná, 42% da população (4.389.809 habitantes) e alguns dos 10 municípios mais populosos, como Curitiba, Guarapuava, Cascavel e Foz do Iguaçu.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal