PM de folga é preso após provocar acidente e matar motociclista, em Curitiba

Mirian Villa

PM de folga é preso após provocar acidente e matar motociclista, em Curitiba

Um PM (Policial Militar) foi preso após matar um motociclista durante um acidente na Cidade Industrial de Curitiba, na noite de sexta-feira (23).

A colisão fatal aconteceu por volta das 23h30, entre as Ruas Arthur Martins Franco e Senador Accioly Filho. O motociclista, identificado como Daniel Silva, realizava entrega de comida quando foi atingido pelo automóvel do policial, que estava de folga.

“Esse motorista se recusou a realizar o teste do bafômetro, no entanto os policiais constataram sinais de embriaguez, além disso todas as testemunhas foram enfáticas em dizer que presenciaram ele consumindo bebida alcóolica, inclusive durante a direção do veículo automotor”, explicou o delegado Leonardo Carneiro, que investiga o caso.

O policial militar, que não teve sua identidade divulgada, foi encaminhado para a Dedetran (Delegacia de Delitos de Trânsito) junto com as passageiras do carro e testemunhas, que afirmaram que ele dirigia de forma irresponsável, acima da velocidade permitida e agressiva.

“Foi relatado que ele furava preferenciais e atravessava semáforos vermelhos, fazendo com que ele assumisse a possibilidade da ocorrência do resultado morte e do acidente de trânsito”, detalhou Carneiro.

De acordo com a PCPR, o policial foi autuado por homicídio doloso qualificado pela impossibilidade de defesa da vítima e embriaguez ao volante. As investigações continuam para verificar imagens que tenham flagrado o acidente de trânsito em Curitiba.

Ninguém que estava no carro ficou ferido. O corpo do motociclista foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal). O Paraná Portal entrou em contato com a PM-PR (Polícia Militar do Paraná), que informou que agente envolvido no acidente em Curitiba deve responder um processo judicial. Leia a nota abaixo!

“O Regimento de Polícia Montada (RPMon) informa que o policial militar estava de folga no momento do acidente e, portanto, foi feito o devido encaminhamento para a Delegacia de Polícia Civil para os procedimentos de Polícia Judiciária. O  policial, a partir de agora, deverá responder a um processo judicial devido ao flagrante lavrado no momento do fato.”

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="759746" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]