PM que matou motociclista e plantou arma para forjar confronto é preso

Angelo Sfair

plantou Leandro pms fraude processual

Foi preso nesta segunda-feira (03) um dos policiais militares acusados pela morte do motociclista Leandro Pires, de 18 anos, no dia 21 de abril. O jovem foi morto após uma perseguição na BR-277, em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba.

O militar é acusado pelos crimes de homicídio e fraude processual. Segundo o Ministério Público (MP-PR),  ele plantou uma arma na cena do crime para simular um confronto que nunca existiu.

A informação sobre a prisão foi confirmada pela assessoria de imprensa da Polícia Militar (PM-PR). A corporação não revelou o nome do militar. O acusado foi detido preventivamente por força de um mandado de prisão expedido pela Justiça de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

O militar segue detido à disposição da Justiça. Ele foi preso preventivamente pela Corregedoria da PM-PR e depois levado para um Batalhão de Polícia de Guarda na Grande Curitiba.

DENÚNCIA

Dois policiais militares envolvidos na morte do motociclista Leandro Pires Cordeiro, de 18 anos, foram denunciados pelo homicídio e por plantarem a arma que justificou a ação.

A promotoria de São José dos Pinhais aponta que os militares incorreram no crime de fraude processual. O caso aconteceu no dia 21 de abril, na BR-277, na altura do quilômetro 70.

À época, a versão apresentada pela Polícia Militar foi de que a vítima estava armada e havia fugido de uma tentativa de abordagem. Durante a perseguição, diz a versão, Leandro Pires Cordeiro teria atirado contra os policiais, que revidaram e o acertaram pelas costas.

A versão foi contestada por amigos e familiares, que garantem que Leandro nunca andou armado. Eles alegam que o jovem de 18 anos foi morto durante uma ação desproporcional da PM. A vítima estaria fugindo porque pilotava sem CNH e tinha o costume de empinar a moto.

Previous ArticleNext Article