PMs que mataram motociclista na BR-277 são denunciados pelo MP

Dois policiais militares envolvidos na morte do motociclista Leandro Pires, de 18 anos, foram denunciados pelo Ministéri..

Angelo Sfair - 31 de maio de 2019, 16:48

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Dois policiais militares envolvidos na morte do motociclista Leandro Pires, de 18 anos, foram denunciados pelo Ministério Público (MP-PR) por plantarem a arma que justificou a ação. A promotoria aponta que militares incorreram no crime de fraude processual. O caso aconteceu no dia 21 de abril, na BR-277, na altura do quilômetro 70, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

À época, a versão apresentada pela Polícia Militar (PM-PR) foi de que a vítima estava armada e havia fugido de uma tentativa de abordagem. Durante a perseguição, diz a versão, Leandro teria atirado contra os policiais, que revidaram e o acertaram pelas costas.

A versão foi contestada por amigos e familiares, que garantem que Leandro Pires nunca andou armado. Eles consideram que o jovem de 18 anos foi morto durante uma ação desproporcional da PM.

Imagens cedidas pela concessionária Ecovia ao MP-PR sustentam a denúncia de fraude processual. De acordo com os promotores, a arma encontrada junto ao corpo de Leandro Pires foi plantada pelos policiais militares para justificarem a morte do rapaz.

A denúncia foi divulgada nesta sexta-feira (31) pelo Ministério Público. As informações foram divulgadas pela RPC e confirmadas pelo Paraná Portal.

Confronto é contestado

Leandro foi baleado pela Polícia Militar em um suposto confronto por volta das 15 horas do dia 21 de abril. Ele foi atingido sob o viaduto do Contorno Leste, na pista sentido Curitiba.

A PM afirmou que foi acionada por uma escrivã da Polícia Civil. A policial teria informado que um motociclista estaria pilotando pela BR-277 com uma arma na cintura. Viaturas se deslocaram até o local e tentaram fazer a abordagem, mas Leandro teria reagido e disparado contra os policiais. Ele foi atingido, arremessado da moto em movimento e morreu no local.

Os familiares e amigos rechaçam a versão da PM e afirmam que os policiais dispararam porque Leandro estaria empinando a motocicleta.