Podcast sobre o caso “Bruxas de Guaratuba” chega à marca de um milhão de downloads

Um podcast que conta o caso que ficou popularmente conhecido como o das “Bruxas de Guaratuba” está prestes a cheg..

Redação - 25 de abril de 2019, 11:09

Um podcast que conta o caso que ficou popularmente conhecido como o das “Bruxas de Guaratuba” está prestes a chegar à marca de um milhão de downloads. O podcast faz parte do Projeto Humanos, que é inspirado em produções do mesmo tipo que são realizadas nos Estados Unidos. Segundo a própria definição do projeto é como se fosse um tipo de documentário em formato de áudio e que é distribuído na internet.

A atual temporada conta a história do Caso Evandro, sobre o sequestro e assassinato do menino Evandro Ramos Caetano, em 1992, na cidade de Guaratuba, no litoral do Paraná. O caso teve repercussão nacional e foi motivo de discussão por muitos anos. A trama envolve figuras públicas, brigas políticas e supostos rituais de magia negra.

Segundo o idealizador do projeto, Ivan Mizanzuk, o caso é recheado de dúvidas, polêmicas e incertezas.

"Alguns pontos eu acredito que consegui esclarecer melhor, nem que fosse só para mostrar as duas ou mais versões da história. Eu posso avisar que tem coisas que não cairam na imprensa na época porque só no trabalho investigativo mais profundo alcançaria", explica Mizanzuk.

https://www.youtube.com/watch?v=goXVa-GQ8lA

A promotoria pública acusou Beatriz Abagge e a mãe dela Celina Abagge como as mentoras da morte do menino. Em 1998 elas foram julgadas no que se tornou o júri mais longo da história do Brasil, com 34 dias. Elas foram consideradas inocentes. Mas em 1999, o júri foi anulado. Houve um novo julgamento em 2011 em que Beatriz Abagge foi condenada a 21 anos de prisão em uma votação apertada, por 4 votos a 3. Em 2016, o Tribunal de Justiça concedeu perdão de pena para Beatriz Abagge. Um dos pontos de partida para contar a história foi o fato de que houve uma onda de desaparecimentos de crianças no começo dos anos 90 no Paraná.  Um dos casos mais conhecidos foi o do menino Guilherme, em 1991, em Curitiba.

Em 2016, o Tribunal de Justiça concedeu perdão de pena para Beatriz Abagge. Um dos pontos de partida para contar a história foi o fato de que houve uma onda de desaparecimentos de crianças no começo dos anos 90 no Paraná.  Um dos casos mais conhecidos foi o do menino Guilherme, em 1991, em Curitiba.

Caso esse que nunca foi solucionado. Já o caso Evandro ganhou proporção por causa da brutalidade do crime e da suposta relação com bruxaria e rituais de magia negra.

"Minha família teve casa em Curitiba e eu ia para lá de tempos em tempos. Acho que a frase 'As Bruxas de Guaratuba' foi sempre muito forte. Eu ficava pensando 'nossa, como assim teve gente sacrificando crianças no litoral do Paraná? Eu quero entender melhor essa história'. Só esse mistério já era o suficiente para entender melhor, investigar para fazer esse documentário em áudio e exorcizar os demônios da minha infância", conta o autor do projeto.

A temporada sobre o caso Evandro, do Projeto Humanos, foi lançada em 31 de outubro de 2018, Dia das Bruxas. No dia da estreia, o podcast foi o assunto mais comentado no Twitter Brasil. Cada episódio tem entre uma hora e duas horas e a cada semana um novo programa é lançado. No total vão ser 30 episódios.O processo de produção foi feito em duas partes. Com Ivan Mizanzuki conversando com pessoas que, de certa forma, estavam envolvidas no caso como, por exemplo, jornalistas e testemunhas.

O segundo momento foi com a leitura de todos os autos do processo para tentar entender o que aconteceu com o garoto Evandro.

O criador do projeto, Ivan Mizanzuki, é professor universitário e decidiu sair de uma das duas universidades que dava aula para poder se dedicar melhor a produção do podcast. O projeto é viabilizado com financiamento coletivo na internet, com ouvintes do podcast, que doam, mensalmente, a partir de 5 reais.

Somente em uma das plataformas de apoio, são mais de mil pessoas que colaboram financeiramente com a produção. O projeto Humanos faz parte do AntiCast, que é um podcast criado em 2011, que é um bate-papo sobre diversos assuntos do momento.  Agora a expectativa é que o projeto Humanos deva ter novas temporadas.

"Não sei se farei caso criminal. Se for, eu tenho uns quatro que estão em mente. Eu também tenho outras histórias que gostaria de contar, cada temporada tem uma temática específica e eu gosto dessa liberdade de explorar outros meios. Fico pensando até em criar um programa só para casos criminais no futuro", conta.

O podcast está disponível no site www.projetohumanos.com.br. Também é possível ouvir nas plataformas de áudio digitais, como o Spotify e Deezer.