Polícia Civil alerta para golpe do aluguel de casas no Litoral

A Polícia Civil do Paraná alerta a população para atenção ao locar imóveis, em especial no Litoral do Estado, para evitar a ocorrência do golpe do aluguel.

Redação - 21 de fevereiro de 2022, 09:39

Divulgação/PCPR
Divulgação/PCPR

A Polícia Civil do Paraná alerta a população para atenção ao locar imóveis, em especial no Litoral do Estado, para evitar a ocorrência do golpe do aluguel.

Não deixar o aluguel do imóvel para a última hora auxilia na preservação contra esses golpes, justamente pela pressa e pouca pesquisa para fechar o negócio.

Os estelionatários utilizam preços mais baixos do que a média do mercado e condições facilitadas para atrair os clientes a alugarem esses imóveis.

Para convencer os clientes, os estelionatários ainda mostram fotos, vídeos e outras informações para darem credibilidade ao golpe, além de pressionarem as vítimas para fazerem o depósito do aluguel, utilizando a alta procura do imóvel como recurso.

Normalmente os estelionatários exigem o pagamento de um valor até 50% do preço total do aluguel de forma antecipada.

Outra dificuldade para os clientes é que na maioria dos casos eles descobrem o golpe apenas quando chegam ao local indicado para a hospedagem.

A Polícia Civil tem buscado intensificar as investigações contra esse golpe e entre os dias 10 de dezembro de 2021 a 20 de fevereiro de 2022, 38 boletins de ocorrências com esse crime como temática já haviam sido registrados.

“A Polícia Civil alerta para que quando a pessoa tiver interesse em fazer uma locação pela internet, busque por anúncios com referência de locais, ou diretamente em imobiliárias que possuam credibilidade no mercado”, explica o Coordenador do Verão Paraná Viva a Vida pela Polícia Civil no Litoral, delegado Gil Tesseroli.

Em caso de golpe, a vítima deve procurar uma Delegacia da Polícia Civil para fazer denúncia e registrar o boletim de ocorrência, levando todo registro da negociação, como mensagens de texto ou WhatsApp, comprovantes de depósito, entre outros.

“Nós estamos desde antes do início do Verão Paraná investigando essas quadrilhas, e para a Polícia Civil é muito importante ter o registro dos fatos para que possamos aprofundar a investigação”, finaliza o delegado.

LEIA MAIS: Passaporte da vacina volta a ser debatido na ALEP nesta semana