Polícia Federal deflagra 3ª fase da Operação Pecúlio no Paraná

Narley Resende


A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira a 3ª fase da Operação Pecúlio, que investiga irregularidades em processos licitatórios de prestação de serviços na prefeitura de Foz do Iguaçu, Oeste do Paraná. São cumpridos nove mandados de prisão preventiva e 22 de busca e apreensão.

A operação Pecúlio investiga irregularidades em contratos de obras e também na área da Saúde, com desvio de verbas provenientes do Governo Federal para o Sistema Único de Saúde (SUS) e no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). Entre os investigados na operação está o prefeito de Foz, Reni Pereira (PSB) – apontado como o chefe do esquema, que pediu afastamento do cargo por motivos de saúde. Ele nega todas as acusações.

Nas duas fases anteriores da operação, 16 pessoas foram presas, sendo que cinco permanecem detidas na Polícia Federal e o ex-secretário de Tecnologia da Informação, Corrêa de Souza, foi transferido para a penitenciária estadual, em Foz do Iguaçu.

O prefeito Reni Pereira chegou a cumprir mandado de condução coercitiva, quando é obrigado a prestar depoimento e, em seguida, foram apreendidos R$ 120 mil em espécie na casa dele. Reni negou participação no esquema e afirmou que o dinheiro é resultado de uma indenização judicial.

CPI

Com a divulgação da lista contendo 40 nomes de indiciados pela Operação Pecúlio da Polícia Federal, os vereadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Pecúlio, definiram por convocar 20 pessoas citadas na lista para fazer o cruzamento de informações relativa aos depoimentos anteriores e que possam fortalecer a linha de investigação dentro da Câmara de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Dentre os depoentes estão o ex-secretário municipal de Obras e ex-diretor superintendente do Foztrans, Carlos Juliano Budel, que, juntamente com o diretor de Obras Aires Silva, deverão prestar depoimentos no próximo dia 23 de junho, além de ouvir também o depoimento de Ney Zanchett e Luciano Brás de Mello Alencar.

A Comissão Parlamentar de Inquérito já apontou 20 nomes que estarão sendo notificados a depor nos próximos dias. Dentre eles estão os ex-secretários municipais: Luiz Carlos Kossar (Adjunto da Sec. de Desenvolvimento Sócio Econômico e também assumiu a função de Diretor de Informações Institucionais da Prefeitura de Foz); Melquizedeque de Souza (Tecnologia da Informação); Adailton Avelino (Fundação Cultural) e João matkievcz filho (Meio Ambiente e Agricultura).

 

Previous ArticleNext Article